Dívida externa do Brasil ultrapassa US$ 200 bilhões

A dívida externa brasileira fechou fevereiro em US$ 202,740 bilhões. Em janeiro, a dívida externa estava em US$ 199,797 bilhões. O chefe do Departamento Econômico do Banco Central, Altamir Lopes, explicou que o aumento da dívida foi puxado pelo crescimento da oferta das linhas de crédito comercial de curto prazo. Essas linhas, segundo Altamir, ajudam a sustentar as exportações brasileiras.Pelos dados do Departamento Econômico, a dívida de curto prazo aumentou em fevereiro, com relação a janeiro, de US$ 19,456 bilhões para US$ 20,831 bilhões. Enquanto isso a dívida de médio e longo prazo cresceu de US$ 180,341 bilhões, em janeiro, para US$ 181,909 bilhões.Taxas de rolagemA taxa de rolagem dos empréstimos externos (parcela da dívida que é renegociada) de médio e longo prazo do setor privado ficou em 50%, em abril, de acordo com o Banco Central. Em março, a taxa de rolagem havia ficado em 101%. No período de janeiro a abril, a taxa de rolagem está em 69% e a expectativa do BC é de fechar o ano em 70%.A menor taxa de rolagem, segundo Altamir Lopes, deve-se ao fato de que as empresas estão optando por pagar seus compromissos externos, em vez de fazerem novas rolagens. Isso está ocorrendo, de acordo com ele, porque as empresas estão mais capitalizadas.Em abril do ano passado, a taxa de rolagem dos empréstimos externos havia ficado em 67%, e o resultado de janeiro a abril de 2004, foi de 104% de rolagem. A taxa de rolagem do todo o ano passado foi de 65%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.