Dívida externa fecha novembro em US$ 211 bilhões

A dívida externa brasileira fechou novembro do ano passado em US$ 211,709 bilhões, segundo informou o Departamento Econômico do Banco Central (Depec). A dívida de médio e longo prazos estava em US$ 185,611 bilhões, enquanto a de curto prazo somava o equivalente a US$ 26,098 bilhões. Em outubro, a dívida externa estava em US$ 213,691 bilhões, com a dívida de médio e longo prazo em US$ 187,235 bilhões e a de curto prazo nos US$ 26,456 bilhões. Na nota divulgada pelo Depec, o Banco Central destaca que houve uma redução na dívida externa de US$ 4,7 bilhões entre setembro e novembro do ano passado. A queda, de acordo com o Depec, ocorreu em decorrência do pagamento de bônus da dívida externa brasileira e também devido à variação cambial. Segundo a nota do Depec, a variação do Câmbio provocou uma redução de US$ 1,1 bilhão na dívida externa no período entre setembro e novembro do ano passado.Setor de serviços recebeu 60% dos investimentos diretosBrasília - O setor de serviços recebeu 60,1% dos investimentos estrangeiros diretos feitos no Brasil ao longo de 2001, segundo o Departamento Econômico do Banco Central. No setor de serviços, a área de correio e telecomunicações ficou com 19,9% dos investimentos, enquanto a de intermediação financeira recebeu o equivalente a 10,4%. A área de comércio ficou ainda com 8,1% dos investimentos.O setor de indústrias ficou com 32,8% dos investimentos estrangeiros feitos durante o ano passado. Nesse setor, a área de fabricação e montagem de veículos automotores recebeu 7,4%, enquanto a de produtos químicos ficou com 7,2% dos investimentos. A área de material eletrônico e equipamentos de comunicação ficou com 5,6% dos investimentos. O setor de agricultura, pecuária e extrativa mineral recebeu 7,1% dos investimentos estrangeiros diretos feitos em 2001.Conversão de dívidasO chefe do Depec, Altamir Lopes, explicou que boa parte dos investimentos estrangeiros diretos que ingressaram no País em dezembro de 2001 foi fruto da conversão de dívidas. Segundo ele, dos US$ 3,863 bilhões ingressados em dezembro, US$ 1,8 bilhão referem-se à conversão de dívida, ou seja, empresas que tinham débitos no exterior transformaram esses recursos em investimentos no País, sob a forma de participação acionária.De acordo com Lopes, uma única empresa do setor de telecomunicações foi responsável pela conversão de US$ 950 milhões. O chefe do Depec disse também que os investimentos estrangeiros que ingressaram durante todo o ano de 2001 financiaram 97,5% do déficit em transações correntes, registrado no ano passado. No início de 2001, a expectativa do BC era de que os investimentos estrangeiros diretos financiariam cerca de 85% do déficit em transações correntes. Segundo Lopes, o déficit de dezembro e o déficit de 2001 foram os melhores resultados já apurados pelo Banco Central, desde 1995. "O resultado reflete uma melhora surpreendente da balança comercial e também uma certa acomodação dos gastos com serviços e rendas", afirmou Lopes. Reservas internacionaisAs reservas internacionais do Brasil, pelo conceito de caixa, fecharam o ano passado em US$ 35,844 bilhões, segundo dados do Departamento Econômico do Banco Central. O valor equivalia a oito meses de importação de bens. Em 2000, as reservas internacionais do País, pelo mesmo conceito, encerraram o ano em US$ 32,949 bilhões, que correspondiam na época a sete meses de importação de bens.Remessas de lucrosAs remessas de lucros e dividendos em 2001 foram de US$ 4,961 bilhões, segundo o Depec. O valor é maior que os US$ 3,316 bilhões remetidos em 2000 e também supera a projeção de remessas de US$ 4,4 bilhões feita pelo BC, ao final do ano passado. Em dezembro de 2001 as remessas foram de US$ 793 milhões, contra os US$ 446 milhões de novembro. Em dezembro de 2000, as remessas foram de US$ 477 milhões. Remessas de brasileiros para o PaísAs transferências unilaterais de recursos feitas por brasileiros residentes no exterior para o País durante todo o ano passado foram de US$ 1,638 bilhão, segundo informou o Departamento Econômico do BC. O valor destas transferências em 2000 tinha ficado em US$ 1,521 bilhão. Em dezembro do ano passado, as transferêncas unilaterais somaram o equivalente a US$ 145 milhões contra os US$ 141 milhões verificados em novembro. Em dezembro de 2000, as transferências unilaterais foram de US$ 144 milhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.