Dívida federal em títulos chega a R$ 759 bilhões em julho

A dívida federal interna em títulos públicos voltou a subir em julho atingindo o estoque de R$ 759,20 bilhões. De junho para julho, o crescimento da dívida foi de 0,13%, segundo informaram hoje o Tesouro Nacional e o Banco Central. Em junho, o estoque da dívida estava em R$ 758,19 bilhões.Nota técnica do BC e do Tesouro informa que ao longo de julho foi feito um resgate líquido de R$ 7,8 bilhões em títulos. Esse resgate e o impacto da valorização do real no mês praticamente compensaram a apropriação de juros sobre o estoque da dívida.O prazo médio da dívida de R$ 759,20 bilhões estava ao final do mês passado em 29,85 meses. Em junho, este prazo era de 29,84 meses. Os vencimentos de curto prazo - em até 12 meses - registraram um pequeno recuo. Do total da dívida, 41,89% vencem nos próximos 12 meses. Nominalmente, esse porcentual corresponde a uma dívida de R$ 318,05 bilhões. Em junho, os vencimentos de curto prazo correspondiam a 42,28% do total da dívida, o que em termos nominais representava R$ 320,53 bilhões.Perfil da dívidaSegundo a nota, a participação de títulos com valorização atrelada a juros prefixados no total da dívida caiu de 16,82% para 15,13% devido ao resgate líquido de R$ 14,1 bilhões desses papéis (LTNs). Por outro lado, a parcela de títulos remunerados pela taxa Selic (juros pós-fixados) subiu de 50,62% para 53,77%. Esse aumento é decorrente da emissão líquida de R$ 10,2 bilhões em títulos. Já a participação de títulos atrelados a índices de preços aumentou de 14,94% para 15,12% do total da dívida.Mantendo a trajetória dos últimos meses, a dívida cambial (títulos e contratos de swap atrelados à variação do dólar) voltou a ter queda em julho. A parcela da dívida com este perfil caiu de 15,79%, em junho, para 14,11%, em julho. Esse é o menor patamar da série histórica do governo. De um mês para o outro, a dívida cambial diminuiu R$ 12,6 bilhões, passando de R$ 119,70 bilhões para R$ 107,15 bilhões.Resgates superam emissõesAs operações de resgate de títulos públicos feitas pelo Tesouro Nacional e o Banco Central em julho superaram as emissões, o que gerou um aumento na liquidez do mercado financeiro de R$ 7,787 bilhões. Ao longo do mês passado, o Tesouro resgatou R$ 34,040 bilhões em títulos enquanto as emissões somaram R$ 27,427 bilhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.