Dívida limita efeito de estímulos ao consumo, diz CNC

O orçamento das famílias continua comprometido com dívidas passadas, segundo a Confederação Nacional do Comércio (CNC), que divulgou nesta terça-feira a pesquisa de endividamento e inadimplência no varejo para o mês de agosto. O índice aumentou para 59,8% em agosto, a terceira alta consecutiva. Porém, permanece abaixo do patamar de agosto de 2011, de 62,5%.

FERNANDA NUNES, Agencia Estado

28 de agosto de 2012 | 11h57

"Observamos que os estímulos à compra de duráveis e o aumento da concessão de crédito não teve, neste ano, o mesmo efeito das medidas anteriores. As famílias vão às compras já com um nível de endividamento elevado. O orçamento doméstico ainda está comprometido", afirmou a economista da CNC Marianne Hanson.

Ela ressaltou, no entanto, que as famílias estão mais otimistas com a capacidade de pagamento das contas em atraso. Caiu o porcentual dos que afirmaram que não conseguirão arcar com as dívidas, de 7,3% em julho para 7,1% em agosto. E diminuiu também o porcentual dos que declararam estar muito endividados, de 14,1% em julho para 13,1% neste mês.

Tudo o que sabemos sobre:
DÍVIDACONSUMOCNCLIMITE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.