Dívida líquida em 2011 deve fechar abaixo de 38% do PIB, diz Mantega

O ministro da Fazenda comentou, ainda, que o governo quer cortar gastos de modo a também facilitar o trabalho de política monetária

Adriana Fernandes, Célia Froufe e Fernando Nakagawa, da Agência Estado,

28 de janeiro de 2011 | 12h29

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse que o setor público consolidado deve fechar o ano de 2011 com o cumprimento integral da meta de superávit primário. Ele também anunciou a previsão de que a dívida líquida do setor público deve fechar o ano abaixo de 38% do PIB, menor, portanto, do que os 41% esperados para 2010 - número que será anunciado na próxima segunda-feira.

"A dívida caiu e continuará caindo", disse. "O déficit do Brasil é um dos menores entre os países. É uma situação invejável." "Em 2011, vamos perseguir a meta cheia. Vamos fazer ajustes de modo que ela seja cumprida", disse em entrevista há pouco.

O ministro comentou, ainda, que o governo quer cortar gastos de modo a também facilitar o trabalho de política monetária. "Para que ele (BC) possa fazer uma política monetária menos rigorosa". Mantega citou, ainda, que esse corte pode ser anunciado antes da próxima reunião do Copom, que acontece em março.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.