Dívida mobiliária federal volta a crescer

Depois de dois meses de queda consecutiva, a dívida mobiliária federal voltou a crescer em janeiro alcançando um estoque de R$ 635,11 bilhões. Segundo o chefe do Departamento de Operações do Mercado Aberto (Demab) do Banco Central, Sérgio Goldenstein, esse aumento de 1,77% da dívida em relação a dezembro se deve ao aumento do dólar de 4,22% registrado em janeiro. Com desvalorização do real, o volume de títulos atrelados à taxa de câmbio subiu novamente chegando a 29,36% do total da dívida. "O câmbio é flutuante. Como a dívida é atrelada à taxa de câmbio vai sempre depender da variação da taxa de câmbio", comentou o chefe do Demab sobre o "desce-e-sobe" do estoque da dívida.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.