Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Dívida pública cai 1,39% em setembro, para R$ 1,48 trilhão

Em apenas 30 dias, dívida total teve uma redução de R$ 21 bilhões; valorização do real contribuiu para a queda

Renata Veríssimo e Adriana Fernandes, da Agência Estado,

22 de outubro de 2009 | 14h50

A Dívida Pública Federal total (interna e externa) recuou para R$ 1,488 trilhão, segundo informou o Tesouro Nacional nesta quinta-feira, 22. Em apenas 30 dias (setembro), a dívida total teve uma redução de R$ 21 bilhões, ou 1,39%. A Dívida Pública Mobiliária Federal Interna (DPMFI) totalizou R$ 1,385 trilhão em setembro, o que representa uma queda de 1,08% em relação aos R$ 1,4 trilhão registrados em agosto. Já a Dívida Pública Federal externa (DPFe) caiu para R$ 103,04 bilhões. De agosto para setembro, a redução da DPFe foi de R$ 5,926 bilhões, ou 5,44%, e deveu-se, principalmente, à valorização do real frente às demais moedas que compõem a DPFe.

 

Segundo o Tesouro Nacional, a queda na DPMFI ocorreu devido ao resgate líquido de R$ 26,14 bilhões. No entanto, a queda no estoque não foi neste valor porque houve uma apropriação de juros da dívida no valor de R$ 11,048 bilhões.

 

A parcela da DPMFI em títulos com remuneração prefixada subiu de 31,26% em agosto para 32,67% em setembro. Já os papéis atrelados à taxa Selic sofreram uma queda na participação na dívida de 38,92% em agosto para 36,90% em setembro. A fatia dos títulos da dívida remunerados pela inflação subiu de 27,83% em agosto para 28,47% em setembro. Os papéis cambiais representaram 0,74% do estoque da dívida em setembro, ante 0,78% em agosto. Já a participação dos títulos remunerados pela Taxa Referencial (TR) na dívida subiu de 1,21% em agosto para 1,22% em setembro.

 

O volume de títulos da DPMFI a vencer em até 12 meses caiu de 29,03% do total do estoque em agosto para 28,67% em setembro. Os títulos prefixados correspondem a 47,97% do montante a vencer em 12 meses e os papéis remunerados pela Selic representam 35,56% desse total.

 

O prazo médio da DPMFI subiu de 3,38 anos em agosto para 3,40 anos em setembro. O custo médio da DPMFI acumulado em 12 meses caiu de 12,06% ao ano em agosto para 11,64% ao ano em setembro devido, principalmente a menor variação da taxa Selic. O custo médio mensal da DPMFI passou de 9,76% ao ano em agosto para 9,84% ao ano em setembro.

 

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.