Dívida pública caiu 4,76% em julho

Um megarresgate de títulos fez com que a dívida pública federal encolhesse em julho. Esse movimento de retração não ocorria desde janeiro. Com a queda, o total da dívida interna e externa no mês passado ficou em R$ 1,88 trilhão, abaixo até do piso da meta para o ano. A expectativa, no entanto, é de crescimento nos próximos meses, por causa do efeito dos juros sobre o estoque.

CÉLIA FROUFE , ADRIANA FERNANDES / BRASÍLIA , O Estado de S.Paulo

23 de agosto de 2012 | 03h07

Os números são vultuosos. Já descontadas as emissões de títulos, o resultado de julho significou uma diminuição de 4,76% da dívida sobre junho, o que correspondeu a um valor de R$ 93,89 bilhões. A dívida interna, que responde por mais de 95% do endividamento total, caiu 4,96%, para R$ 1,79 trilhão.

O resgate em julho, de R$ 145,79 bilhões, foi o maior da história, mas, até o fim do ano, a programação tem menores volumes de vencimento. Pelos números do Tesouro, R$ 104 bilhões em títulos vão expirar até dezembro e, desse total, R$ 47 bilhões vencem ainda este mês.

Empréstimo. O coordenador-geral de operações da Dívida Pública do Tesouro Nacional, Fernando Garrido, informou ontem que um novo empréstimo, feito por meio de títulos públicos, para o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) poderá ocorrer ainda este ano. Em 2012, o Tesouro já emprestou R$ 10 bilhões ao banco.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.