Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Dívida pública de curto prazo sobe para 32,8% do total

A parcela a vencer em até 12 meses da dívida interna do governo em títulos teve uma alta significativa em janeiro, passando para 32,79% de toda a dívida interna, segundo dados divulgados hoje pelo Tesouro Nacional. Em dezembro, essa fatia foi de 30,15%.O prazo médio da dívida interna, porém, melhorou, passando de 36,47 meses para 37,61 meses. Segundo a nota do Tesouro, isso ocorreu por conta do resgate líquido (descontadas as emissões) de títulos com juros prefixados. TiposA participação de títulos prefixados no estoque da dívida interna em títulos do governo teve queda em janeiro. Segundo dados divulgados há pouco pelo Tesouro Nacional, a participação caiu de 37,31% em dezembro para 34,92% em janeiro. Essa queda, de acordo com o Tesouro, foi devido ao resgate líquido de R$ 40,9 bilhões desses papéis. É que, no primeiro mês de cada trimestre, há sempre uma concentração forte de vencimentos desses papéis. A participação de títulos indexados à Selic (taxa básica de juros), por outro lado, aumentou no mesmo período de 33,39% para 34,77%, considerando os contratos de swap cambial. A parcela atrelada à Selic subiu de 36,63 para 38,02%. A parcela atrelada à taxa de câmbio da dívida teve uma ligeira elevação de 0,95% para 0,96% e a parcela atrelada à taxa referencial (TR) subiu de 2,09% para 2,13%. A participação de títulos atrelados a índices de preços subiu de 26,26% para 27,22%.

ADRIANA FERNANDES E FABIO GRANER, Agencia Estado

21 de fevereiro de 2008 | 15h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.