Dívida Pública Federal cai 0,51% em agosto

Queda representa redução de R$ 9,51 bilhões em relação a julho 

Renata Veríssimo e Adriana Fernandes, da Agência Estado,

24 de setembro de 2012 | 15h25

BRASÍLIA - A Dívida Pública Federal (DPF) teve uma queda de 0,51%, totalizando R$ 1,867 trilhão em agosto. Isso representa uma redução na dívida de R$ 9,51 bilhões em relação a julho (R$ 1,876 trilhão). A apropriação de juros na DPF no mês de agosto foi de R$ 19,068 bilhões.

A Dívida Pública Mobiliária Federal interna (DPMFi) caiu 0,53% em relação a julho e somou R$ 1,778 trilhão em agosto. Segundo o Tesouro Nacional, a queda se deve ao resgate líquido no valor de R$ 28,32 bilhões e a apropriação de juros no valor de R$ 18,793 bilhões. Com relação ao estoque da Dívida Pública Federal externa (DPFe), houve um aumento de 0,02% sobre o estoque de julho, encerrando o mês passado em R$ 88,43 bilhões.

Estrangeiros

A participação dos investidores estrangeiros na DPMFi foi de 13,34% em agosto. Em julho, a participação tinha sido de 13,22% do total do estoque. Em valores nominais, os estrangeiros detinham em agosto R$ 237,39 bilhões. Segundo o Tesouro, 78,95% dessa carteira são em títulos prefixados.

Os fundos de investimento reduziram a sua participação de 25,57% em julho para 25,24% em agosto, enquanto que as instituições financeiras aumentaram a sua participação no estoque da DPMFi de 28,82% em julho para 28,85% em agosto. O grupo previdência ampliou a sua participação no estoque da DPMFi de 16,42% em julho para 16,69% no mês passado.

Vencimentos nos próximos 12 meses

Para os próximos 12 meses, os vencimentos da DPF tiveram uma queda 26,03% em julho para 24,17% em agosto do total do estoque. Ainda segundo os dados do Tesouro, o volume de títulos da DPMFi a vencer em 12 meses diminuiu de 26,66% em julho para 24,71% em agosto. Já o prazo médio da DPF apresentou um aumento de 3,99 anos em julho para 4,05 anos em agosto. O prazo médio da DPMFi ampliou-se de 3,85 anos em julho para 3,92 anos no mês passado. O custo médio da DPF acumulado nos últimos 12 meses caiu de 12,88% ao ano em julho para 12,69% ao ano em agosto. Já o custo médio acumulado em 12 meses da DPMFi passou de 11,97% ao ano em julho para 11,85% ao ano em agosto.

Prefixados

Já a parcela prefixada da DPF subiu de 35,86% em julho para 37,37% em agosto. Títulos remunerados pela taxa Selic também tiveram sua participação ampliada, de 24,57% para 24,68% em agosto. A participação dos títulos indexados à inflação teve queda no período, passando de 34,98% para 33,35%. A parcela dos papéis atrelada à taxa de câmbio aumentou de 4,59% para 4,61%.

Todos os tipos de papéis estão com sua participação dentro das metas do Plano Anual de Financiamento (PAF) estabelecido para 2012.

A parcela de papéis prefixados na DPMFi subiu de 36,89% para 38,47% em agosto. A parcela atrelada à Selic subiu de 25,79% para 25,90%. E a fatia atrelada à inflação caiu de 36,71% para 35,01%. A parcela atrelada à câmbio da DPMFi ficou estável em 0,62%.

Tudo o que sabemos sobre:
Tesourodívidaagosto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.