Dívida pública federal cai 0,69% em janeiro

A dívida pública federal (soma dos endividamentos internos e externos) fechou janeiro em R$ 1,228 trilhão. O valor é 0,69% menor que o resultado em dezembro de 2006, quando a dívida ficou em R$ 1,237 trilhão. De acordo com o Plano Anual de Financiamento do Tesouro Nacional, a dívida deve fechar o ano entre R$ 1,37 trilhão e R$ 1,45 trilhão.A dívida pública mobiliária federal interna (DPMFI) teve uma redução de 0,51% em janeiro, passando de R$ 1,093 trilhão em dezembro de 2006, para R$ 1,087 trilhão no primeiro mês de 2007. Segundo dados divulgados nesta quinta-feira, 22, pelo Tesouro, a participação dos títulos prefixados caiu de 36,13% em dezembro de 2006 para 34,53% em janeiro de 2007, totalizando R$ 375,60 bilhões. Já os papéis indexados à taxa Selic subiram em janeiro para 38,90%. Esse valor não leva em consideração as operações de swap cambial. Em dezembro, a parcela desses papéis (as Letras Financeiras do Tesouro, ou LFTs) correspondia a 37,83% do total da dívida. A participação de títulos atrelados à taxa Selic aumentou porque o Tesouro Nacional fez uma emissão líquida de R$ 5,2 bilhões em LFTs. Os títulos atrelados ao índice de preço tiveram a participação ampliada de 22,54% em dezembro para 23,05% em janeiro, o que representa R$ 250,72 bilhões. Os títulos atrelados à TR representam apenas 2,23% do total da dívida pública interna federal, totalizando R$ 24,24 bilhões. O Brasil ainda é credor em dólar no equivalente a R$ 11,86 bilhões.PrazoO prazo médio da dívida interna em títulos subiu de 31,06 meses em dezembro de 2006 para 31,88 meses em janeiro de 2007. Contribuíram para este aumento os resgates líquidos de R$ 36 bilhões em Letras do Tesouro Nacional e R$ 1,5 bilhão em Notas do Tesouro Nacional - série C. Por outro lado, a proporção de títulos com vencimento no curto prazo (em até 12 meses) também subiu: de 35,67% em dezembro de 2006 para 36,86% em janeiro, totalizando R$ 401 bilhões. O Tesouro também divulgou, pela primeira vez, a vida média dos papéis da dívida pública federal interna, que foi de 47,35 meses em janeiro ante 46,55 meses em dezembro de 2006. O cálculo da vida média da dívida pública não computa os pagamentos de cupons de juros.JurosA apropriação de juros da dívida pública mobiliária federal interna foi de R$ 12,592 bilhões em janeiro. Além disso, os resgates de títulos no mês foram superiores às emissões de títulos, no valor de R$ 21,051 bilhões. Com isso, houve uma redução de R$ 5,6 bilhões em janeiro em relação ao estoque da dívida em dezembro de 2006.Dívida externaA dívida pública federal externa caiu de R$ 143,45 bilhões em dezembro de 2006 para R$ 140,53 bilhões em janeiro de 2007. Com isso, houve uma redução de R$ 2,925 bilhões. Ainda segundo os dados do Tesouro, o prazo médio dos títulos da dívida externa subiu de 69,12 meses em dezembro de 2006 para 70,64 meses em janeiro de 2007. A vida média da dívida pública federal externa também subiu de 157,19 meses para 160,04 meses em janeiro de 2007. A vida média não considera para o cálculo o pagamento de cupons de juros. Os vencimentos dos papéis da dívida externa em até 12 meses caíram de 7,61% em dezembro de 2006 para 6,60% em janeiro de 2007. Segundo o Tesouro, os títulos denominados em dólar representam 61,3% do total a vencer em até 12 meses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.