coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Dívidas da Eletropaulo preocupam analistas

A situação financeira da Eletropaulo, uma das maiores distribuidoras de energia do País, tem causado preocupação no mercado, principalmente por causa das dívidas que começam a vencer no segundo semestre, de cerca de US$ 500 milhões.Segundo analistas, mesmo com a liberação dos recursos do BNDES, de R$ 970 milhões, referente às perdas do racionamento no ano passado, a concessionária teria de recorrer ao mercado internacional para rolar as dívidas. A captação, segundo fontes, teria de ser em torno de US$ 200 milhões.O problema é que o mercado está apreensivo com a queda na confiança dos investidores estrangeiros. A agência norte-americana Moody´s, que na semana passada anunciou a revisão de classificação dos riscos da distribuidora, por exemplo, acredita que será difícil para a companhia captar recursos no mercado externo num momento de nervosismo como o atual.Além dos problemas internos da Eletropaulo, que teve queda de cerca de 10% na venda de energia aos clientes por causa da redução de consumo, a controladora da concessionária AES Corp. também está passando por dificuldades. Segundo analistas, a empresa registrou um prejuízo líquido de US$ 313 milhões no primeiro trimestre, em comparação com o lucro líquido de US$ 111 milhões em mesmo período de 2001.A Eletropaulo fechou o primeiro trimestre com prejuízo de R$ 14,4 milhões, 88,8% inferior ao registrado em igual período de 2001. O que circula no mercado é que a AES estaria interessado em se desfazer de seus ativos no Brasil. A crise afetou até mesmo a presidência da empresa, que foi assumida há mais de um mês por um diretor da AES, nos Estados Unidos.

Agencia Estado,

11 de junho de 2002 | 20h37

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.