Dívidas das distribuidoras não é preocupante, diz Eletrobrás

O presidente da Eletrobrás, Altino Ventura Filho disse hoje que a elevação das dívidas das distribuidoras de energia com as geradoras estatais "não é nada que possa criar uma inquietação generalizada". Apesar de não quantificar o valor das dívidas, ele atribui essa elevação a problemas conjunturais. Segundo Ventura Filho, algumas distribuidoras estão enfrentado dificuldades financeiras após o racionamento de energia que, na avaliação do presidente da Eletrobrás, levou a uma redução de mercado e queda na receita das empresas. Estão nesta situação, segundo Ventura Filho, as distribuidoras Eletropaulo (SP), Light (RJ), Celg (GO) e CEB (DF), atendidas por Furnas, e Cemar (MA) e CEA (AP), que compram energia da Eletronorte. Ele disse que Furnas está negociando o pagamento da dívida com cada empresa separadamente, levando em conta a capacidade de cada distribuidora de quitar seus débitos. "Vamos achar um caminho", afirmou. Ele lembrou que já foi aprovada a liberação de recursos da Reserva Global de Reversão (RGR), destinada a cobrir perdas de receita que as distribuidoras tiveram com a mudança no critério de consumidor de baixa renda. A estimativa é de que sejam necessários R$ 40 milhões por mês, mas ainda não foi divulgado o valor das perdas de cada distribuidora. Ventura Filho participou da entrega do Selo Procel de Economia de Energia, na Confederação Nacional da Indústria (CNI) .

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.