Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Dívidas de governos da Z.euro sobem no 2º trimestre

As dívidas de governos da zona do euro continuaram subindo no segundo trimestre, um lembrete de que, apesar ter retomado o crescimento, o bloco ainda precisa lidar com um de seus principais problemas.

AE, Agencia Estado

23 de outubro de 2013 | 08h24

Dados da Eurostat, a agência de estatísticas da União Europeia, mostraram que as dívidas combinadas dos 17 governos da zona do euro avançaram para 93,4% do Produto Interno Bruto (PIB) nos três meses até junho, de 92,3% no primeiro trimestre e 89,9% em igual período do ano passado.

Pelas regras da UE, os governos do bloco devem manter suas dívidas num patamar igual a ou abaixo de 60% do PIB.

O governo da Grécia tinha a maior dívida no segundo trimestre, equivalente a 169,1% do PIB, ante 160,5% no primeiro trimestre e muito acima de níveis considerados sustentáveis.

A maior elevação de dívida foi registrada pelo Chipre, que este ano obteve um pacote de resgate da zona do euro e do Fundo Monetário Internacional (FMI) para tentar contornar com sua crise bancária. A dívida cipriota saltou para 98,3% do PIB no segundo trimestre, de 87,5% nos três meses anteriores.

A Alemanha, por outro lado, reduziu sua dívida a 79,8% no segundo trimestre, de 80,5% no primeiro trimestre. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
zona do eurodívidas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.