Dívidas não vão afetar consumo, diz Greenspan

O presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos), Alan Greenspan, afirmou hoje que os lares norte-americanos não sentem a "pressão" de suas dívidas, o que leva a prever que o consumo, responsável por mais de dois terços do Produto Interno Bruto (PIB) do país, será mantido."Grande parte do aparente aumento na proporção da dívida dos lares na última década reflete fatores que não indicam maior pressão financeira. Nos últimos dois anos, a proporção de pagamentos de dívida se manteve estável", disse Greenspan na Conferência de Assuntos Governamentais da Associação Nacional de Mútuas de Crédito. Este cálculo mede a porcentagem da renda que as famílias usam para pagar juros e capital de suas dívidas.Apesar de o volume das hipotecas ter crescido mais de 12% anuais nos dois últimos anos, os pagamentos da dívida não aumentaram e os juros estão no nível mais baixo desde 1958, afirmou. O barateamento das hipotecas impeliu um ´boom´ da construção nos EUA e evitou uma recessão mais profunda por manter o nível de consumo.Segundo o presidente do Fed, a porcentagem de pagamentos de dívida, que não mudou nos últimos dois anos, é o índice mais exato da saúde econômica dos lares.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.