Dividido, Copom reduz juro para 11,50%

Quatro integrantes votaram por este resultado, mas três queriam uma redução menor

18 de julho de 2007 | 20h34

O Comitê de Política Monetária (Copom) reduziu a Selic, a taxa básica de juros da economia, em 0,5 ponto porcentual. Com isso, a taxa que estava em 12% caiu para 11,5% ao ano. Contudo, a decisão não foi unânime. Quatro integrantes do Comitê votaram por este resultado, mas três integrantes queriam um corte menor, de 0,25 ponto porcentual.   Com esta redução da Selic, o Brasil deixa a liderança do ranking dos maiores juros reais do mundo pela primeira vez desde fevereiro de 2005, segundo cálculos da UP Trend. Isso porque, com o corte de 0,5 ponto porcentual, o juro real (taxa nominal descontada a inflação projetada para os próximos 12 meses) cai para 7,7%. O primeiro lugar passa a ser da Turquia, cuja taxa é de 8,2%. Apesar disso, o Brasil continua com a taxa bem maior que a média mundial, de 2,4%.   Decisão - De acordo com comunicado divulgado ao final da reunião, "o comitê irá acompanhar a evolução do cenário macroeconômico até sua próxima reunião para então definir os próximos passos na sua estratégia de política monetária".   É a terceira redução consecutiva de 0,5 ponto porcentual e o décimo sétimo corte consecutivo no ciclo de flexibilização monetária iniciado em setembro de 2005, quando a taxa foi reduzida de 19,75% para 19,50% ao ano.   Com a queda de 0,5 ponto, a redução acumulada desde setembro de 2005 é de 8,25 ponto porcentual. Neste ano, a queda acumulada é de 1,75 ponto porcentual. Em 2007, a taxa de juros foi reduzida em 0,25 ponto porcentual nas reuniões de janeiro, março e abril, passando para o ritmo de redução de 0,50 ponto em junho e julho.   A próxima reunião do Copom será nos dias 4 e 5 de setembro. A ata do encontro de julho será divulgada na próxima quinta-feira, dia 26, às 8h30.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.