Divulgação da Pnad Contínua é adiada para 6 de novembro

Greve que paralisou parcialmente os trabalhos no órgão por 79 dias atrasou a coleta de dados em alguns Estados

Daniela Amorim, Agência Estado

21 de agosto de 2014 | 09h33

RIO - O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que a próxima divulgação da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) será adiada de 28 de agosto para 6 de novembro. A greve que paralisou parcialmente os trabalhos no órgão por 79 dias atrasou a coleta de dados em alguns Estados, sendo mais grave no Amapá, Ceará, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Paraíba, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e Santa Catarina, além do Distrito Federal.

A próxima divulgação da Pnad Contínua fornecerá a taxa de desemprego nacional referente ao segundo trimestre deste ano. A publicação dos dados do terceiro trimestre também foi adiada, de 6 de novembro para 9 de dezembro.

A greve também alterou o calendário de divulgações de pesquisas estruturais. Previstas inicialmente para junho, as divulgações da Pesquisa Industrial - Empresa 2012, Pesquisa Industrial - Produto 2012 e Pesquisa Anual da Indústria da Construção foram transferidas para setembro. Já a Pesquisa Anual de Comércio 2012 foi adiada para outubro.

O órgão informa que também houve atraso em cerca de um mês nas divulgações de sete pesquisas previstas para este ano: Demografia das Empresas 2012, Pesquisa Anual de Serviços 2012, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - Acesso à televisão, à Internet e posse de telefone móvel celular para uso pessoal 2013, Produção Agrícola Municipal 2013, Produção da Pecuária Municipal 2013, Estatísticas de Empreendedorismo 2012 e Estatísticas do Registro civil 2013. 

As demais divulgações não sofreram alterações, comunicou o órgão, em nota. 

Tudo o que sabemos sobre:
desempregoPnad

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.