DJ Corrige: Encomendas de bens duráveis cai nos EUA

A agência Dow Jones corrigiu informação contida na nota anterior. O aumento das encomendas de bens de capital não defensivos excluindo aeronaves subiu 2,2%, e não 2,4% como informado. Também estava incorreto o declínio das encomendas relacionadas à defesa, no segundo parágrafo, que foi de 4,0%, e não de 1,2% como grafado. Segue a nota corrigida:

DANIELLE CHAVES, Agencia Estado

23 de abril de 2010 | 12h03

As encomendas de bens duráveis nos Estados Unidos diminuíram 1,3% em março, para o valor sazonalmente ajustado de US$ 176,7 bilhões, segundo o Departamento do Comércio do país. O dado contrariou as expectativas dos economistas, que previam aumento de 0,3% nas encomendas de bens duráveis em março. O dado de fevereiro foi revisado para mostrar aumento de 1,1%, em comparação com a alta de 0,5% anunciada anteriormente. As encomendas de bens relacionados a transporte caíram 12,9%, o fator que mais pressionou o dado. As encomendas de bens de capital (máquinas e equipamentos) não defensivos recuaram 7,5% em março, enquanto as relacionadas à defesa declinaram 4,0%.

As encomendas de bens de capital não defensivos excluindo o segmento de aeronaves, dado usado para calcular o Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA, subiram 2,2%. Todas as outras encomendas de bens duráveis, excluindo transportes, cresceram 2,8%. Um sinal de demanda futura no setor industrial, as encomendas dos manufatureiros não atendidas diminuíram 0,3% em março. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAencomendasbens duráveis

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.