Doença do frango pode prejudicar exportação, diz CNA

O assessor técnico da Comissão Nacional de Comércio Exterior da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Antônio Donizeti Beraldo, avaliou nesta quarta-feira que o registro de um foco de Newcastle em granja no Rio Grande do Sul pode prejudicar as exportações brasileiras de frango. "O caso pode ser um complicador adicional", avaliou. Ele não quantificou o prejuízo. O caso foi diagnosticado na semana passada. Até o momento o Ministério da Agricultura só confirmou o embargo ao produto imposto por Nova Caledônia, uma colônia francesa na Oceania. A União Européia barrou temporariamente as compras de aves vivas e carne de avestruz, vendas que rendem pouco ao País. Beraldo lembrou que as exportações de carne de frango caíram no primeiro semestre devido à queda no consumo na Europa, principal mercado para o produto brasileiro, reflexo do temor dos consumidores em relação à gripe aviária. Números divulgados nesta quarta pela CNA mostram que as vendas caíram 4,1% em receita, de US$ 1,522 bilhão para US$ 1,459 bilhão. A quantidade exportada caiu 8,2%, de 1,351 milhão de toneladas para 1,241 milhão de toneladas.

Agencia Estado,

12 de julho de 2006 | 14h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.