Dois filhos do ex-presidente da Parmalat são presos

Dois dos três filhos de Calisto Tanzi, magnata que levou a Parmalat à falência e é acusado de fraude contábil que passa dos 10 bilhões de euros, foram presos hoje em Parma pela polícia italiana. Francesca e Stefano, que até agora faziam apenas parte da lista de investigados, serão interrogados. A ordem de prisão partiu da Justiça de Parma que investiga as irregularidades do grupo. Sobre os dois pesam acusações de conivência para "delinqüir, falência fraudulenta, falsas informações e outros delitos societários". Francesca era responsável e administradora da Parmatour, a agência de turismo do grupo, e já vinha sendo investigada por implicações na falência dessa empresa, embora o seu pai sempre tivesse defendido a inocência da filha, informa a imprensa européia. Stefano, por sua vez, chegou a participar do conselho de administração de várias empresas do Grupo Parmalat, além de ter sido presidente do time de futebol Parma Calcio. Além dos filhos de Calisto Tanzi, a Justiça italiana pediu ainda a prisão do seu irmão Giovanni Tanzi, membro do conselho de administração da Parmalat; de Roberto Tedesco, do conselho de administração do grupo Hit; e de Angelo Ugolotti e Claudi Baratta, administradores da Hit.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.