Dólar à vista cai e tem 2º menor giro financeiro do ano

Com o fechamento dos mercados norte-americanos, empresas de comércio exterior praticamente não atuaram

Silvana Rocha, da Agência Estado

19 de janeiro de 2009 | 17h57

O mercado de câmbio encerrou com o dólar à vista em queda e com o segundo menor giro em D+2 registrado este ano, por causa do feriado pelo Dia de Martin Luther King Jr. nos EUA hoje. Com o fechamento dos mercados norte-americanos, empresas de comércio exterior praticamente não atuaram e as tesourarias de instituições financeiras que operaram adotaram a cautela, por causa do risco maior de perdas decorrente da liquidez fraca, disse um operador de tesouraria de um banco estrangeiro.  Veja também:Desemprego, a terceira fase da crise financeira global De olho nos sintomas da crise econômica Dicionário da crise Lições de 29Como o mundo reage à crise  No fechamento, o dólar caiu para R$ 2,332 na BM&F (-0,47%) e no balcão (-0,17%). O giro financeiro total diminuiu 78%, para cerca de US$ 591 milhões, dos quais US$ 560 milhões em D+2. O menor giro em D+2 registrado este ano foi na sexta-feira, dia 9, com US$ 525 milhões movimentados, informou um operador de uma instituição nacional. A previsão nas mesas de negociação é de que os volumes financeiros com câmbio podem melhorar um pouco amanhã em meio à retomada dos mercados norte-americanos e a posse do presidente eleito, Barack Obama. De todo modo, os investidores devem ficar em compasso de espera pela decisão do Copom, na quarta-feira, por causa da grande dúvida no mercado sobre o tamanho da redução esperada da taxa Selic este mês.  A curva a termo de juros na BM&F está precificando um corte de 0,75 ponto porcentual na taxa básica brasileira. Contudo, diante do fechamento de 654.946 empregos formais no País em dezembro - o pior resultado mensal da série histórica do Caged, algumas instituições do mercado já estão elevando suas projeções de corte da Selic este mês.  O Banco Central fez dois leilões na sessão - um para iniciar a rolagem do próximo vencimento de US$ 10,2 bilhões em contratos de swap cambial em 2 de fevereiro de 2009 e outro de venda direta no mercado à vista. Na operação de rolagem, a autoridade monetária vendeu o lote integral ofertado de 51.000 contratos de swap com três vencimentos, equivalentes a US$ 2,514 bilhões. Essa operação não interferiu na formação de preço do dólar à vista nem no volume de negócios, uma vez que os ajustes serão feitos em 2/2/09 pela ptax de 31 de janeiro. O BC está realizando neste momento uma nova pesquisa de demanda para a continuidade da rolagem desse vencimento de swap. O levantamento está será feito junto aos agentes do mercado e o resultado será divulgado a partir das 18h30. Já no leilão no mercado à vista, a autoridade vendeu cerca de US$ 65 milhões, que foram computados no giro em D+2, disseram os operadores consultados. A taxa de corte do leilão foi de R$ 2,3301.

Tudo o que sabemos sobre:
Crise nos EUAcrise internacional

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.