Dólar à vista sobe e futuro cai após BC sondar mercado

A simples sondagem, por parte do Banco Central, às mesas de operação para detectar eventual demanda por leilões de swap cambial reverso foi suficiente para descolar o mercado cambial doméstico do exterior, ontem. O swap reverso é uma modalidade de derivativo cambial em que os bancos compram contratos futuros e recebem uma taxa de juros e o BC, por sua vez, ganha a variação cambial no período de validade da operação. Os rumores da sondagem começaram no final da tarde de sexta-feira e exerceram influência no mercado futuro naquele dia, já que o segmento à vista estava fechado. Por isso, ontem, o dólar futuro caiu, enquanto a moeda à vista subiu, ambos corrigindo a direção para o mesmo patamar. O dólar avançou 0,34%, para R$ 1,765 no balcão. No segmento futuro, o dólar agosto recuou 0,62%, a R$ 1,765. O mercado ainda está dividido entre os que consideram a volta dos leilões de swap cambial reverso como necessária para equilibrar as cotações da divisa americana e os que acham que o momento ainda não exige tal atitude. Segundo o BC, os bancos aumentaram a posição vendida no mercado de câmbio para US$ 12,950 bilhões até o dia 22 de julho, nível quase US$ 3 bilhões superior ao registrado no fim de junho, de US$ 9,049 bilhões.

Cenário: Taís Fuoco, O Estado de S.Paulo

27 de julho de 2010 | 00h00

A Bovespa registrou a 6ª alta consecutiva, ao subir 0,18%, aos 66.443,26 pontos - maior pontuação desde 4 de maio. Contudo, houve um movimento de realização de lucros, após o Ibovespa ter acumulado ganho de 6,39%, na semana passada, amparado por ações da Vale e de siderúrgicas.

O juro para janeiro de 2011 caiu para 10,90%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.