Dólar abre em queda e Bolsa tem ligeira baixa

O dólar comercial abriu em queda de 0,23% em relação aos últimos negócios de sexta-feira, cotado a R$ 3,0350. Às 10h05, a moeda norte-americana é vendida a R$ 3,0390, em baixa de 0,10%. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) abriu em ligeira baixa e neste horário está em queda de 0,08%. Hoje é feriado em Nova York e isso deve roubar boa parte da liquidez (volume de negócios) do mercado de câmbio no Brasil. As atenções dos investidores devem voltar-se para o noticiário interno e para as possíveis repercussões que o ataque terrorista a mais um oleoduto iraquiano possa ter nos preços do petróleo (veja mais informações no link abaixo).No início da manhã, as conseqüências desse atentado eram fortes. Segundo informações das agências internacionais, a sabotagem atingiu um oleoduto que leva petróleo do norte para o sul do Iraque e deve provocar queda de 50% nas exportações de petróleo a partir do sul do país. Agora há pouco, em Londres, o barril de petróleo era comercializado com alta em torno de 1,50%.Pontos favoráveis à queda do dólarMas no Brasil há eventos previstos em agenda que podem atenuar esse pessimismo. O Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior divulga o resultado da balança comercial do País relativo aos três primeiros dias de julho. Depois dos números recordes de maio e junho, o mercado segue otimista em relação a esse número.Além disso há as expectativas em relação à retomada das emissões externas. Na sexta-feira foi anunciada a abertura de uma captação de US$ 50 milhões do Votorantim e outras operações estão prontas. Conforme o risco Brasil ? taxa que mede a desconfiança do investidor estrangeiro na capacidade de pagamento da dívida do País - se aproxima dos 600 pontos (na sexta-feira fechou em 623, segundo relatou a editora Silvana Rocha) as expectativas de que elas se efetivarão aumentam.Cenário políticoA política também merece atenção. A Câmara terá sessões deliberativas entre hoje e sexta-feira, num esforço concentrado para a votação, antes do recesso, dos projetos considerados prioritários. Entre esses projetos estão o das agências reguladoras e o que cria a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial. Nesta tarde, o ministro da Coordenação Política, Aldo Rebelo, vai reunir-se os líderes dos partidos aliados no Senado para discutir uma pauta a ser votada até 8 de julho, quando o Congresso entra em recesso.O presidente Lula realiza uma cerimônia para marcar 18 meses de governo. A cerimônia não deve apresentar novidades, mas merece atenção. Afinal, está prevista a participação de todos os ministros, líderes aliados da Câmara e do Senado e presidentes das estatais. Há instantes, o dólar para agosto era cotado a R$ 3,065, com queda de 0,26% no pregão eletrônico da BM&F, sinalizando a queda esperada para a abertura desta segunda-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.