Dólar acelera alta e Bolsa recua para 2,05%

O mercado de câmbio, que já abriu pressionado diante da reação negativa do mercado aos dados do relatório de emprego divulgado hoje nos EUA, acelerou a alta neste final da manhã. Às 12h25, a moeda norte-americana era cotada a R$ 3,0850 na ponta de venda dos negócios, o patamar máximo do dia, em alta forte de 2,80% em relação aos últimos negócios de ontem. Operadores comentam que a alta foi ampliada pelo aumento da compra de dólares por parte de investidores que já estão montando posições de hedge (segurança) diante do risco de novas turbulências financeiras. Além disso, há remessas de dólares para o exterior, sobretudo de investidores que desistiram de apostar nos fundamentos internos.Às 12h37, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) opera em queda de 2,05%. O risco Brasil ? taxa que mede a desconfiança do investidor estrangeiro na capacidade de pagamento da dívida do país ? ultrapassou os 750 pontos base. Quanto maior o risco, maior é essa taxa. Ela representa o prêmio pedido pelos investidores para assumir o risco de títulos da dívida brasileira. Neste patamar, significa que os papéis brasileiros pagam juros com 7,50 pontos porcentuais acima dos títulos dos Estados Unidos, considerados sem risco.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.