Denise Paro
Denise Paro

Dólar acima de R$ 3,90 esfria Black Friday dos brasileiros no Paraguai

Consumidores criticam a promoção alegando que os lojistas dão desconto, mas aumentam a cotação do dólar

Denise Paro, Especial para O Estado de S. Paulo

22 de novembro de 2018 | 15h21

CIUDAD DEL ESTE - Em alta, o dólar esfriou o ânimo dos consumidores para a Black Friday no Paraguai em 2018. Cotada a R$ 3,91 nas lojas de Ciudad del Este, fronteira com Foz do Iguaçu (PR), a moeda norte-americana segurou os megadescontos tradicionais desta época para celulares, aparelhos de televisão e drones, itens preferidos pelos brasileiros.

Na maioria das lojas da região, os preços para celulares top de linha e aparelhos de televisão estão na média de 10% a 15%. Mesmo com a oferta em baixa, o valor de alguns produtos ainda é mais em conta que no Brasil. 

Para o Iphone XS o preço é de U$ 1.060,00. Já o aparelho Iphone XS, da linha Max, de 512 GB, chega a US$ 1.420,00. Um drone profissional está sendo vendido por cerca de U$ 1.300,00.  Na linha Samsung, o celular Note 9 sai por US$ 750,00.

Em algumas lojas não há descontos para aparelhos celulares. As ofertas limitam-se a lentes para máquina fotográfica, bebidas, perfumes e itens domésticos, como caixas de som e secador de cabelo. As TVs estão entre os itens que ainda animam os consumidores. Uma TV Samsung curva HD, de 4k, sai por U$ 400,00. Uma TV Smart de 24 polegadas da LG custa US$ 160,00.

Estudante de enfermagem, Jéssica Teixeira, de Foz do Iguaçu, costuma frequentar a Black Friday todos os anos. Este ano, ela diz que os preços deixaram a desejar. "Está mais barato que no Brasil, mas o desconto está pequeno", diz.  

Alguns consumidores criticam a promoção alegando que os lojistas dão desconto, mas aumentam a cotação do dólar.

Curitibano, o turista Rafael Cézar diz que os descontos para itens domésticos, que chega a 30%, compensam, mas não são extraordinários. Entre as aquisições de Rafael e os amigos está uma caixa de som portátil que custou R$ 280,00. No Brasil, o preço pode chegar a R$ 600,00.

Na edição deste ano, cada loja estipulou uma data para a promoção que começou na primeira quinzena de novembro. Em alguns estabelecimentos, a promoção começa amanhã e segue até domingo. Em outras, a Black Friday já acabou.

A Casa BO começou a Black Friday hoje com oferta de 400 itens. O gerente Armando Ghazzoui diz que o objetivo é divulgar o estabelecimento e proporcionar conforto ao cliente. "As pessoas comprar e depois acabam trazendo outros clientes", diz. Os descontos variam entre US$ 10 a 40,00, conforme o produto.

Para atrair os consumidores, os comerciantes divulgam as ofertas de preços em grupos de whatsapp ou colocam promotores de venda nas ruas para abordar os clientes. Ao contrário do ano passado, até ontem não se observava tumulto e filas imensas nas ruas. Amanhã, duas grandes lojas iniciam a promoção. A Casa Nissei e a Cell Shop.

Acesso liberado

Estado vai liberar aos leitores todo o conteúdo de seu portal durante a edição da Black Friday de 2018, que acontece no dia 23 de novembro. A cobertura especial vai começar na meia-noite do dia 23 e permanecerá até 0h01 de 24 de novembro.

Os leitores vão contar com cobertura em tempo real, transmissões ao vivo dos repórteres da editoria de economia e informações exclusivas desta que é a principal temporada de compras do ano no Brasil, atrás apenas do Natal.

Para Entender

Black Friday 2018: tudo o que você precisa saber

Maior campanha de vendas promocionais no comércio online e varejo físico do Brasil ocorre, neste ano, no dia 23 de novembro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.