Dólar amplia queda após anúncio do BC e Tesouro

Acabou o teto de compra de até US$ 3 bi de pelo Tesouro neste ano. O diretor de política monetária do BC, Luiz Fernando Figueiredo, e o secretário-adjunto do Tesouro, Rubens Sardeneberg, disseram que não existe mais este teto. Logo após a notícia, o dólar, que abriu em queda de 0,05% (R$ 2,0040), ampliou o recuo e, às 10h05, estava em baixa de 0,40%, cotado em R$ 1,9970.Em entrevista para explicar as atuações do Tesouro neste ano, os dois dirigentes disseram que o Tesouro não terá mais um teto, e passará a determinar um valor exato de compra, de US$ 1,2 bi, para o ano. A idéia do Tesouro é distribuir a compra em US$ 100 mi por mês. Porém, como a instituição já comprou US$ 260 mi em janeiro, a compra mensal será de US$ 84 milhões por mês nos meses restantes do ano. A compra média por dia útil em janeiro foi de US$ 11,8 mi. Sardenberg não quis informar quanto o Tesouro já comprou nestes primeiros dias de fevereiro, mas deu uma dica: considerar a média diária de compra de janeiro, que teria valido para os primeiros dias de fevereiro até ontem (US$ 11,8 mi). Pela dica de Sardenberg, o Tesouro já teria comprado US$ 59 mi nos cinco dias úteis de fevereiro até ontem. Como a compra mensal é de US$ 84 mi, só restariam US$ 25 mi para o resto do mês. O diretor do BC, Luiz Fernando Figueiredo, disse que o Tesouro anunciou as mudança nas compras do Tesouro porque o teto de US$ 3 bi estava gerando "muita especulação".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.