Dólar anula queda frente ao real após reunião do Fed

O dólar encerrou praticamente estável ante o real nesta quarta-feira, após operar em baixa durante boa parte da sessão.

REUTERS

24 de junho de 2009 | 16h42

À tarde, com o final da reunião do Federal Reserve, o mercado passou a acompanhar a intensa volatilidade das bolsas de valores internacionais.

O dólar terminou com oscilação positiva de 0,05 por cento, a 1,982 real na venda, depois de chegar a cair quase 1 por cento pela manhã.

Segundo profissionais do mercado, a moeda norte-americana recuou durante quase toda a sessão por uma entrada de recursos --movimento que prevaleceu até a divulgação do comunicado do Fed.

"Aparentemente, (o comunicado do Fed) trouxe um efeito na relação entre euro e dólar e o real está acompanhando esse movimento", avaliou Jorge Knauer, gerente de câmbio do banco Prosper.

O Fed avaliou que a economia norte-americana permanecerá fraca por algum tempo, apesar de ter notado um abrandamento da contração. De imediato, os investidores entenderam a leitura do banco central norte-americano como negativa, o que pesou sobre Wall Street.

O índice Dow Jones caía 0,4 por cento no final da tarde, enquanto o Standard & Poor's 500 e o Nasdaq reduziram os ganhos.

O principal indicador da bolsa paulista monitorava o movimento desencontrado do mercado norte-americano e caía perto de 0,5 por cento.

Ante uma cesta com as principais moedas mundiais, o dólar ampliava a alta para 0,9 por cento no fim da tarde.

Segundo Marcos Forgione, operador de câmbio da B&T Corretora de Câmbio, uma vez que as considerações do Fed trouxeram incerteza aos mercados, os investidores buscaram se proteger zerando posições na BMF Bovespa. "Isso ajudou a 'estressar' o dólar."

De acordo com os números mais recentes da bolsa, o volume de dólar negociado no segmento à vista era de 2,2 bilhões de dólares.

FLUXO E COMPRAS DO BC

O Banco Central divulgou nesta quarta-feira que o fluxo cambial no país está positivo em 380 milhões de dólares em junho até o dia 19.

A autoridade monetária também informou que comprou 1,597 bilhão de dólares no mercado de câmbio à vista no mês, também com liquidação até o dia 19.

O BC reportou ainda que a posição comprada dos bancos caiu para 483 milhões de dólares em 19 de junho, ante 1,338 bilhão de dólares no fim de maio.

Os investimentos estrangeiros diretos foram recordes para maio, em 2,483 bilhões de dólares, e as aplicações em ações e renda fixa superaram o volume registrado há um ano, alcançando 3,330 bilhões de dólares.

"Os números de investimento vieram bastante positivos e mostram a confiança no país", afirmou o chefe do Departamento Econômico, Altamir Lopes, ao apresentar os dados.

O BC também melhorou expressivamente o prognóstico para os investimentos externos em papéis domésticos de longo prazo e ações em 2009, que passou a um fluxo positivo de 3 bilhões de dólares. A estimativa anterior era de saída de 10 bilhões de dólares.

(Reportagem de José de Castro, colaborou Isabel Versiani)

Tudo o que sabemos sobre:
DOLARFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.