Dólar aprofunda queda e termina setembro a R$1,773

O dólar caiu mais de 1 por cento diante do real nesta quarta-feira, aproveitando o otimismo com a entrada de capitais no país e o avanço das commodities no exterior para marcar novas mínimas no mercado brasileiro.

REUTERS

30 de setembro de 2009 | 16h28

A moeda norte-americana terminou o dia em baixa de 1,17 por cento, a 1,773 real. É a menor cotação de fechamento desde 9 de setembro de 2008.

No mês, a queda do dólar foi de 6,1 por cento. Em 2009, a moeda já acumula baixa de 9,7 por cento.

A sessão foi marcada pelo vencimento de derivativos e a disputa em torno da taxa de referência para a liquidação desses contratos. Segundo operadores, houve alguma resistência à queda durante a manhã, mas à tarde, com o aprofundamento da baixa do dólar no exterior e a alta do preço das matérias-primas, prevaleceu o interesse dos vendidos em dólar.

No fim da tarde, o índice Reuters-Jefferies de commodities subia 2,9 por cento. O dólar caía 0,5 por cento ante uma cesta com as principais moedas após a surpresa negativa dos investidores com a atividade no Meio-Oeste dos Estados Unidos.

Além disso, dados do Banco Central confirmaram que a entrada de dólares no país tem sido reforçada nas últimas semanas pelas operações financeiras. Em setembro, o fluxo cambial está positivo em 1,06 bilhão de dólares.

(Reportagem de Silvio Cascione e José de Castro)

Tudo o que sabemos sobre:
DOLARFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.