Dólar atinge máxima de R$ 2,9520, em alta de 0,72%

Às 11h26, o dólar comercial atingiu a cotação de R$ 2,9530, o patamar máximo até este horário. Em relação aos últimos negócios de sexta-feira, trata-se de uma alta de 0,72%. A moeda norte-americana iniciou o dia cotada a R$ 2,9460 e oscilou até a mínima de R$ 2,9430. Os investidores estão atentos à reunião do banco central dos Estados Unidos (Fed), que acontece amanhã e vai reavaliar a taxa de juros do país, atualmente em 1% ao ano. Não se espera uma alta do juro já na reunião de amanhã, mas o comunicado a ser divulgado no final da reunião poderá trazer novas pistas sobre o período e a magnitude da alta dos juros americanos.Juros mais altos nos Estados Unidos aumentam a aversão dos investidores por risco, já que é possível receber um ganho maior em títulos considerados sem risco, os papéis da dívida norte-americana. Além disso prejudicam a atividade econômica mundial, principalmente dos países emergentes. Há ainda preocupação com uma possível alta de juros na China. Não há qualquer informação oficial sobre isso, mas há um temor de que o governo do País aproveite o feriado desta semana para anunciar novas medidas monetárias para arrefecer o forte crescimento econômico e as pressões inflacionárias.Por ora, o câmbio deve continuar como o menos afetado dos mercados domésticos pelos eventos externos. Isto decorre do bom desempenho das contas externas. No entanto, maiores pressões não são descartadas caso a alta dos juros dos títulos norte-americanos se acelere ou se aumentem as vendas de títulos da dívida do Brasil no exterior.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.