Dólar atinge nova máxima do dia: R$ 2,8100

As cotações do dólar voltaram a subir há pouco. Às 12h21, a moeda norte-americana estava no patamar máximo do dia, em R$ 2,8100 na ponta de venda dos negócios. A alta é de 1,44% em relação aos últimos negócios de ontem. Depois da abertura dos negócios, quando o dólar abriu em alta de 1,34% cotado a R$ 2,8070, o Banco Central (BC) anunciou que realizaria ainda hoje um leilão de swap (troca) cambial. As cotações recuaram e o dólar chegou a ser vendido no patamar mínimo do dia, em R$ 2,7600. O fato é que novamente o dólar ficou pressionado e, segundo analistas, o nervosismo no mercado cambial deve permanecer durante todo o dia. Um recuo mais forte das cotações nesse momento, segundo ele, dependeria de uma atuação mais agressiva do Banco Central no sentido de dar maior liquidez ao mercado. Por outro lado, essa estratégia poderia contribuir ainda mais para a crise de credibilidade que o País atravessa.A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) opera em baixa de 3,08%. Além do nervosismo dos investidores com a alta do risco-país, que chegou a 1.702 pontos nessa manhã, e a desvalorização dos títulos brasileiros no exterior, a Bolsa foi prejudicada pela notícia de rebaixamento da perspectiva de rating (classificação) dos bônus em moeda estrangeira da Petrobrás, de estável para negativa, anunciado pela agência de classificação de risco Moody´s. Às 12h42, as ações ordinárias (ON, com direito a voto) da companhia estão em baixa de 7,09% e as preferenciais (PN, sem direito a voto) operam em queda de 7,64%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.