Dólar bate em R$ 4 em dia nervoso

Hoje o dólar chegou à cotação máxima recorde de R$ 4, em mais um dia nervoso nos mercados, dando seqüência às altas dos últimos dias. Apesar das fortes altas no mercado internacional, que puxaram a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), as incertezas que pairam sobre o próximo governo e os vencimentos concentrados de papéis cambiais a partir do dia 17 pressionam muito as cotações.O governo não conseguiu, ao longo do ano, rolar títulos para 2003 pela própria resistência dos mercados a manter papéis que deverão ser honrados pelo próximo presidente. Com isso, há uma concentração muito grande de vencimentos neste final de ano. Em outubro, vencem papéis cambiais no valor de US$ 3,6 bilhões no dia 17 e mais US$ 1,1 bilhão no dia 23. Do primeiro lote, o maior do ano, já foram rolados US$ 500 milhões. Hoje o governo tentou vender mais US$ 200 milhões, mas o mercado só aceitou US$ 80 milhões, o que aumentou ainda mais a tensão sobre o câmbio. Ainda se espera que as empresas remetam cerca de US$ 2 bilhões em obrigações até o final do mês.A circunstância que agrava as tensões é que esses pagamentos acontecem em um momento no qual as reservas internacionais já estão em um nível relativamente baixo, por conta das intervenções constantes do Banco Central no mercado desde julho, e pela campanha presidencial.Os investidores temem que o próximo governo não queira ou não possa cumprir os compromissos assumidos e traga prejuízos às aplicações. Mudanças prometidas em política econômica também preocupam. Nesse sentido, o candidato favorito do mercado, José Serra (PSDB/PMDB) ainda demonstra ter poucas chances de vitória, mas as próximas pesquisas eleitorais e lances da campanha podem afetar os negócios. No final de semana saem as primeiras pesquisas mais abrangentes de intenção de votos.MercadosO dólar comercial foi vendido a R$ 3,9900 nos últimos negócios do dia, em alta de 2,97% em relação às últimas operações de ontem, oscilando entre R$ 3,8900 e R$ 4,0000. Com o resultado de hoje, o dólar acumula uma alta de 72,28% no ano e 27,19% nos últimos 30 dias.No mercado de juros, os contratos de DI futuro com vencimento em janeiro de 2003 negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros pagam taxas de 20,950% ao ano, frente a 21,000% ao ano ontem. Já os títulos com vencimento em julho de 2003 têm taxas de 26,450% ao ano, frente a 26,050% ao ano negociados ontem.A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou em alta de 1,74% em 8866 pontos e volume de negócios de R$ 463 milhões. Com o resultado de hoje, a Bolsa acumula uma baixa de 34,70% em 2002 e 10,98% nos últimos 30 dias. Das 50 ações que compõem o Ibovespa - índice que mede a valorização das ações mais negociadas na Bolsa -, cinco apresentaram altas. Mercados internacionais Em Nova York, o Dow Jones - Índice que mede a variação das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - fechou em alta de 3,40% (a 7534,0 pontos), e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York - subiu 4,42% (a 1163,37 pontos). Às 18h, o euro era negociado a US$ 0,9862; uma queda de 0,38%. Na Argentina, o índice Merval, da Bolsa de Valores de Buenos Aires, fechou em alta de 4,56% (414,70 pontos). Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.