Dólar bate recorde em dia muito tenso

O resultado da pesquisa de intenção de votos do Datafolha, divulgada no final de semana, assustou os investidores e o resultado foi muito pessimismo. O dólar bateu novo recorde de fechamento, a R$ 3,57. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) também despencou. O volume de negócios nos mercados foi muito pequeno, o que sempre favorece oscilações mais bruscas. Além disso, o clima nos mercados mundiais também foi muito pessimista.Luiz Inácio Lula da Silva (PT/PL), que vem liderando todas as pesquisas eleitorais com muita folga, voltou a subir, o que desagradou os grandes investidores, que torcem para José Serra (PSDB/PMDB). O petista, agora, está muito próximo do porcentual necessário para vencer no primeiro turno, e, mesmo que haja um segundo turno, suas chances de derrota parecem pequenas. O mercado está preocupado com a governabilidade, já que sua base aliada será pequena, e com as surpresas que a estréia do PT no governo federal possa trazer.Os investidores vêm dando indicações cada vez mais pessimistas. Na pesquisa do Banco Central dessa semana junto às principais instituições financeiras do País, todos os indicadores pioraram, com a exceção da balança comercial, cujos saldos vêm melhorando muito por conta da desvalorização cambial.No exterior, o dia também foi difícil. Na Europa, os investidores não gostaram da reeleição apertadíssima do chanceler Gerhard Schroeder, com base nos seus aliados mais à esquerda. Critica-se a governabilidade e a disposição do novo governo de realizar reformas econômicas impopulares para elevar as medíocres taxas de crescimento da maior economia do continente.Nos Estados Unidos, as bolsas também caíram muito. Por um lado, os dados econômicos voltam a preocupar, dando sinais de fraca atividade e possível início de recessão, o que se reflete nos resultados decepcionantes das empresas. E o Iraque voltou a resistir à proposta de nova resolução das Nações Unidas para reger a inspeção de seu arsenal. O presidente George W. Bush já se mostrava cético em relação ao país, e voltou a fazer ameaças de invadi-lo, numa escalada das tensões que não agradou os mercados. Os preços do petróleo voltaram a subir.MercadosO dólar comercial foi vendido na cotação máxima de R$ 3,5750 nos últimos negócios do dia, em alta de 4,99% em relação às últimas operações de sexta-feira. A mínima do dia foi de R$ 3,5000. Com o resultado de hoje, o dólar acumula uma alta de 54,36% no ano e 14,84% nos últimos 30 dias.No mercado de juros, os contratos de DI futuro com vencimento em janeiro de 2003 negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros pagam taxas de 21,900% ao ano, frente a 21,870% ao ano sexta-feira. Já os títulos com vencimento em julho de 2003 têm taxas de 26,100% ao ano, frente a 25,100% ao ano negociados sexta-feira. O risco país do Brasil - diferença entre os juros de títulos equivalentes do governo brasileiro e do Tesouro dos EUA - fechou em 2175 pontos, o equivalente a 21,75 pontos porcentuais.A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou em queda de 3,35% em 9264 pontos e volume de negócios fraco, de R$ 358 milhões. Com o resultado de hoje, a Bolsa acumula uma baixa de 31,77% em 2002 e 4,26% nos últimos 30 dias. Das 50 ações que compõem o Ibovespa - índice que mede a valorização das ações mais negociadas na Bolsa -, cinco apresentaram altas. O principal destaque foram os papéis da Telesp Celular ON (ordinárias, com direito a voto), com desvalorização de 10,82%. Mercados internacionais Em Nova York, o Dow Jones - Índice que mede a variação das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - fechou em queda de 1,42% (a 7872,2 pontos), e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York -caiu 2,96% (a 1184,93 pontos). Às 18h, o euro era negociado a US$ 0,9779; uma queda de 0,25%. Na Argentina, o índice Merval, da Bolsa de Valores de Buenos Aires, fechou em baixa de 0,37% (375,40 pontos). O dólar oficial fechou a $ 3,61 pesos para venda.Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.