Dólar cai abaixo de R$ 1,80 pela 1ª vez desde 2000

Além disso, a Bolsa de Valores de São Paulo opera em alta, renovando seu recorde intraday

REUTERS

11 de outubro de 2007 | 10h02

O dólar rompeu nesta quinta-feira, 11, o patamar de R$ 1,80 pela primeira vez em mais de sete anos e, com o cenário externo positivo e o ingresso de divisas, operava em forte queda às vésperas do feriado.  Veja também:O sobe-e-desce do dólar  Ibovespa crava nova marca histórica, dos 64 mil pontos  Às 10h33, a moeda norte-americana cedia 0,61%, para R$ 1,794. Na mínima do dia, o dólar chegou a ser negociado a 1,785 real no pregão à vista da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) - foi o menor valor desde 3 de agosto de 2000.  A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), por sua vez, subia 1,14%, operando aos 63.915 pontos e renovando seu recorde intraday. Antes da abertura dos negócios em Wall Street, os índices futuros das bolsas de valores norte-americanas indicavam abertura positiva das ações, com possibilidade de novos recordes após o desempenho fraco da véspera. Além disso, o Risco País caía 4 pontos-base.  "Um dos fatores positivos hoje é a recuperação das bolsas lá fora e a recuperação das moedas. Fora o fluxo que tem de entrada", disse Gerson de Nobrega, gerente da tesouraria do Banco Alfa de Investimento.  Nobrega lembrou que os leilões de compra realizados pelo Banco Central nos últimos dias enxugaram um volume pequeno de dólares do mercado. Isso diminuiu a resistência da moeda ao piso informal, que foi sustentado na última sessão por operações no mercado de derivativos.  Francisco Carvalho, gerente de câmbio da corretora Liquidez, avalia que o dólar mantém a tendência negativa mesmo após a quebra do patamar de R$ 1,80. "Pode até vir a cair mais um pouco ao longo do mês, a gente tem muita expectativa de entrada (de dólares) para a bolsa", disse.  "A expectativa é que, no curto prazo, ele possa vir a testar R$ 1,75", estimou, ressalvando um possível reforço nas atuações do BC no mercado à vista.

Tudo o que sabemos sobre:
DOLARABRE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.