Beto Barata/PR
Beto Barata/PR

Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Bolsa bate os 73 mil pontos com revés sobre delação da JBS

Na leitura de parte do mercado, além de enfraquecer a provável segunda denúncia contra Temer, a notícia traz otimismo em relação a reforma da Previdência

Ana Luísa Westphalen, O Estado de S.Paulo

05 de setembro de 2017 | 09h49

A Bovespa reage em alta na manhã desta terça-feira à possibilidade de anulação do acordo de delação premiada do dono da JBS, Joesley Batista, e de executivos do grupo, anunciada ontem pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot.  Por volta das 10h20, o Ibovespa marcou mais de 73 mil pontos ( 73.180 pontos) – maior patamar em quase sete anos. A última vez em que o índice superou esse patamar foi no dia 9 de novembro de 2010, quando marcou 73.044 pontos durante o pregão.

A leitura é de que o revés enfraquece politicamente o Ministério Público e, consequentemente, uma provável segunda denúncia contra o presidente Michel Temer. Na leitura de parte do mercado, inclusive, a notícia tem potencial de alavancar o otimismo da base aliada na direção da aprovação da reforma da Previdência ainda em 2017.

+Família Batista, dona da Friboi, vende Eldorado por R$ 15 bilhões

Às 10h30, as ações ordinárias da JBS caíam 9,09%, a R$ 7,80, e eram o único recuo do Ibovespa, que avançava 1,17%, aos 72.969 pontos.

à vista no balcão era negociado a R$ 3,1196 (-0,59%), enquanto a moeda para outubro estava cotada a R$ 3,1290 no mercado futuro (-0,75%). 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.