Beto Barata/PR
Beto Barata/PR

Bolsa bate os 73 mil pontos com revés sobre delação da JBS

Na leitura de parte do mercado, além de enfraquecer a provável segunda denúncia contra Temer, a notícia traz otimismo em relação a reforma da Previdência

Ana Luísa Westphalen, O Estado de S.Paulo

05 Setembro 2017 | 09h49

A Bovespa reage em alta na manhã desta terça-feira à possibilidade de anulação do acordo de delação premiada do dono da JBS, Joesley Batista, e de executivos do grupo, anunciada ontem pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot.  Por volta das 10h20, o Ibovespa marcou mais de 73 mil pontos ( 73.180 pontos) – maior patamar em quase sete anos. A última vez em que o índice superou esse patamar foi no dia 9 de novembro de 2010, quando marcou 73.044 pontos durante o pregão.

A leitura é de que o revés enfraquece politicamente o Ministério Público e, consequentemente, uma provável segunda denúncia contra o presidente Michel Temer. Na leitura de parte do mercado, inclusive, a notícia tem potencial de alavancar o otimismo da base aliada na direção da aprovação da reforma da Previdência ainda em 2017.

+Família Batista, dona da Friboi, vende Eldorado por R$ 15 bilhões

Às 10h30, as ações ordinárias da JBS caíam 9,09%, a R$ 7,80, e eram o único recuo do Ibovespa, que avançava 1,17%, aos 72.969 pontos.

à vista no balcão era negociado a R$ 3,1196 (-0,59%), enquanto a moeda para outubro estava cotada a R$ 3,1290 no mercado futuro (-0,75%). 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.