Dólar cai com FMI e espera medidas do BC

O mercado financeiro reage positivamente, com dólar e juros em queda e bolsa em alta, à informação de que o governo está sacando cerca de US$ 10 bilhões do Fundo Monetário Internacional (FMI). A notícia foi publicada pela imprensa e pode ser anunciada oficialmente hoje. Na avaliação dos especialistas, no entanto, a confirmação da consistência desse impacto só virá no decorrer do dia.Depois de ter cravado ontem alta de 3,06%, cotado a R$ 2,7950, o preço mais alto desde 21 de setembro do ano passado, o dólar comercial, às 10h25, estava sendo cotado a R$ 2,7030, com queda de 3,29% em relação aos últimos negócios de ontem. No mercado de juros, os contratos de DI futuro com vencimento em janeiro de 2003, negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), pagam taxas de 22,100% ao ano, frente a 22,340% ao ano negociados ontem. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) opera em alta de 1,12%.O governo deverá dar hoje um calmante ao mercado. Além do esperado anúncio sobre o saque de recursos junto ao FMI, o mercado aguarda outras medidas para enxugar a liquidez do sistema financeiro e evitar a migração de recursos para o dólar, diminuindo a pressão sobre o câmbio. Entre os instrumentos, que segundo os analistas, poderiam ser utilizados pelo Banco Central está o aumento dos compulsórios dos bancos e até operações mais sofisticadas, que envolvam papéis de mais longo prazo. Especula-se também sobre a volta das rações diárias, a exemplo do que fez no ano passada. No entanto, segundo o jornalista da Agência Estado, Ariosto Teixeira, não foi confirmado ontem que o BC e o Ministério da Fazenda vão lançar mão desse instrumento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.