Pixabay
Pixabay

Dólar cai e Bolsa sobe com redução de aposta de alta dos juros nos EUA

A praticamente uma semana antes da reunião do Fed, investidores acreditam que um aperto monetário não virá tão cedo

Lucas Hirata, Paula Dias, O Estado de S.Paulo

12 Setembro 2016 | 18h39

O dólar recuou 0,96%, para R$ 3,24, em meio à percepção no mercado de câmbio de que o aperto monetário nos Estados Unidos não deve ocorrer tão cedo. Cerca de uma semana antes da próxima reunião do Federal Reserve, a diretora do BC norte-americano Lael Brainard manteve sua defesa dos juros baixos, eliminando os riscos de endurecimento do discurso embutidos no mercado. A reação ao último pronunciamento oficial antes do encontro do Fed, em 20 e 21 de setembro, foi imediata e os ativos considerados mais arriscados, como divisas de mercados emergentes, logo se apreciaram.

O discurso também teve forte influência no mercado acionário e a Bovespa fechou em alta de 1%, aos 58.586 pontos.

A diretora do Fed defendeu "prudência" na retirada da política de acomodação monetária. Como o impacto sobre a inflação de uma melhoria no mercado de trabalho deve ser moderado e gradual, "o argumento para apertar a política de maneira preventiva é menos convincente", afirmou Brainard. "Na presença de incerteza e na ausência de pressões inflacionárias que aceleram, não seria inteligente para a política descartar a possibilidade de obter mais ganhos no mercado de trabalho", argumentou a dirigente.

A expectativa em torno do discurso de Brainard era elevada desde o começo do dia, principalmente depois que o presidente da distrital de Boston, Eric Rosengren, sinalizou na sexta-feira uma postura mais favorável ao aperto monetário. Os dois dirigentes estão entre os principais defensores de juros baixos e, por isso, uma mudança de discurso poderia pavimentar as apostas para elevação de juros agora em setembro.

Petróleo. Os preços do petróleo se mantiveram em alta, assim como as ações da Petrobrás. Os papéis da estatal brasileira também refletiram a informação de que a empresa apresentará o novo plano estratégico e o plano de negócios e gestão 2017-2021 ao conselho de administração no próximo dia 21. A informação, oficializada hoje, já havia sido dada pelo presidente da companhia, Pedro Parente, em entrevista exclusiva ao Broadcast na última sexta-feira. Ao final dos negócios, Petrobrás ON e PN tiveram altas de 3,42% (a R$ 16,03) e de 3,26% (a R$ 13,95), respectivamente. Com o mercado de aço chinês fechado, as ações da Vale subiram 3,74% (ON) e 2,48% (PNA), influenciadas pela melhora na recomendação feita pelo JP Morgan. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.