Dólar cai e confirma sucesso da desvalorização na Argentina

A pouco menos de uma hora do fechamento do mercado (18h de Brasília), o mercado de câmbio da Argentina mostrava a mesma tranqüilidade de ontem, quando o regime livre de flutuação entrou em vigor quase 11 anos depois de o peso permanecer atrelado ao dólar na paridade de 1 por 1. Há pouco, a moeda norte-americana era negociada a 1,70 peso para compra e 1,90 peso para venda, abaixo do fechamento de segunda-feira (1,85/1,90 para compra e 2,05/2,15 pesos para venda). As explicações para o comportamento do peso, que surpreendeu os mais pessimistas, são ambíguas, já que partem de bases diferentes. Os otimistas afirmam que vem caindo significativamente se for levado em conta o patamar de quase 2,30 pesos por dólar no pico dos negócios antes do feriado bancário e cambial da semana passada. Os pessimistas afirmam que o peso perdeu quase metade de seu valor desde o fim da conversibilidade. Consultado pelo site do jornal La Nación, o economista Pablo calvo, consultor nos EUA, disse que o dólar está se aproximando de seu teto e se o governo argentino chegar a um acordo com o FMI e com outros organismos multilaterais de financiamento a situação do câmbio no país ficará estabilizada, fazendo com que a Argentina venha a se transformar em outro exemplo de "desvalorização com sucesso".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.