Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Dólar cai, mas mantém atenção à volatilidade no exterior

O dólar recuava nesta sexta-feira,apesar de monitorar a intensa volatilidade nos mercadosestrangeiros após a turbulência da véspera. Às 12h55, perto de encerrar a primeira etapa de negócios dodia, a moeda norte-americana caía 0,41 por cento e era cotada a1,920 real. Na quinta-feira, o dólar subiu 3,27 por cento. Mais cedo, a divisa chegou a cair abaixo de 1,90 real, masuma piora em Wall Street brecou o movimento. Apesar do ânimo com a recuperação da economianorte-americana no segundo trimestre, o mercado mantinha apreocupação com o possível contágio dos problemas do mercado decrédito de risco dos Estados Unidos. No segundo trimestre, o Produto Interno Bruto (PIB)norte-americano cresceu a uma taxa anualizada de 3,4 por cento,melhor desempenho desde os primeiros três meses de 2006. "Essa recuperação do mercado (com a notícia sobre ocrescimento dos Estados Unidos) é muito frágil. Qualquernotícia de novas operações sendo suspensas nos Estados Unidosou Europa por falta de crédito pode provocar de novo umarealização no mercado", disse Vladimir Caramaschi,economista-chefe da Fator Corretora. Miriam Tavares, diretora de câmbio da AGK Corretora, disseque, atento à turbulência externa, o mercado de câmbio "vaificar cauteloso nos próximos dias e não tem mais chance de ir a1,80 real por dólar no curto prazo". FLUXO COMERCIAL Segundo Carlos Alberto Postigo, operador de câmbio dacorretora Action, a atuação dos exportadores, que aproveitam aalta da sessão passada para garantir uma taxa mais favorável,ajudava na queda do dólar. Na véspera, segundo o gerente de câmbio José RobertoCarreira, da corretora Novação, os exportadores diminuíram aoferta de dólares no mercado em meio à incerteza sobre aintensidade da desvalorização do real. (Por Silvio Cascione; colaborou Vanessa Stelzer)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.