finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Dólar cai para R$ 2,57, menor cotação desde dezembro

Moeda fechou em queda pelo 3º dia, afetada pela alta dos juros no Brasil e a decisão do BC europeu em injetar R$ 1,1 tri na economia

Clarissa Mangueira, O Estado de S. Paulo

22 de janeiro de 2015 | 16h59

O dólar registrou sua terceira sessão consecutiva de queda nesta quinta-feira, pressionado pela decisão do Banco Central do Brasil de elevar a taxa Selic, como esperado, e pelo anúncio do programa de relaxamento monetário pelo Banco Central Europeu (BCE).

No fim do dia, o dólar à vista recuou 1,15%, para R$ 2,5760, no menor valor desde 3 de dezembro. O volume de negócios totalizava R$ 1,280 bilhão perto das 16h30. No mercado futuro, o dólar para fevereiro recuava 1,13%, a R$ 2,5790.

O dólar abriu em queda ante o real, afetado pela decisão do Copom, na noite de ontem, de elevar a taxa Selic em 0,50 ponto, para 12,25% ao ano. A moeda foi pressionada também por um aumento do custo de carregamento cambial, devido à subida da Selic, além de expectativas de novos fluxos de entrada de capitais especulativos estrangeiros para o País antes da divulgação da decisão de política monetária do BCE. O presidente da autoridade monetária europeia, Mario Draghi, anunciou um programa de relaxamento quantitativo (QE) no valor superior a 1 trilhão de euros. O programa, que caracteriza uma extensão das medidas atuais de compra de ativos, prevê a aquisição de 60 bilhões de euros ao mês em títulos soberanos e corporativos a partir de março deste ano. 

"A intenção é a de continuar (com o programa) até o fim de setembro de 2016, e será em todo o caso conduzido até observarmos um ajuste sustentável no rumo da inflação que seja consistente com a nossa meta de atingir taxas de inflação maiores, mais próximas a 2% (ao ano), no médio prazo", afirmou Draghi.

A decisão levou o dólar a renovar mínimas na sessão, com a moeda chegando a recuar abaixo dos R$ 2,56, enquanto os mercados acionários aceleraram os ganhos. 

Tudo o que sabemos sobre:
dólarcâmbio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.