Dólar cai pela 5ª sessão e atinge menor nível desde outubro

Moeda norte-americana fecha em queda de 0,30%, cotada a R$ 2,009, a menor desde 1º de outubro de 2008

Reuters,

28 de maio de 2009 | 16h56

O dólar encerrou a sessão desta quinta-feira em queda ante o real, com a disputa entre investidores por uma cotação mais conveniente a suas estratégias no fechamento de maio. A moeda norte-americana teve baixa de 0,30%, cotada a R$ 2,009 para venda, a menor cotação desde 1º de outubro de 2008.

 

Veja também:

especialEntenda a trajetória de valorização do real

especialAs medidas do Brasil contra a crise

especialAs medidas do emprego

especialDe olho nos sintomas da crise econômica 

especialDicionário da crise 

especialLições de 29

especialComo o mundo reage à crise   

 

Neste mês, a queda do dólar já chega a 7,9%, o que coloca a divisa a caminho da maior baixa mensal desde abril de 2003, quando cedeu 13,2%. "É vantajoso ter uma Ptax mais baixa" para os investidores posicionados em contratos de swap cambial reverso, lembrou Reginaldo Galhardo, gerente de câmbio da Treviso Corretora de Câmbio.

 

Ele explicou que, com a proximidade do final do mês, acentua-se a "briga" pela Ptax entre os investidores que estão comprados e vendidos em dólar no mercado de câmbio futuro. A Ptax é a taxa média ponderada do dólar, que serve de referência para a liquidação de contratos futuros e outros derivativos.

 

Galhardo citou os contratos de swap cambial reverso, que expiram na próxima segunda-feira, com volume próximo de US$ 3,4 bilhões. Esses contratos funcionam como uma compra futura de dólares pelo Banco Central e neles o mercado ganha quando a variação do dólar é inferior à do juro, daí o interesse em reduzir as cotações da moeda norte-americana.

 

O Banco Central realizou nesta tarde mais um leilão de compra de dólares no mercado à vista. O BC retomou esses leilões no dia 8 de maio, depois de um jejum de cerca de oito meses.

 

No âmbito externo, as bolsas de valores dos Estados Unidos operavam em alta no fim da tarde, na esteira da valorização de papéis de empresas do setor de energia. Ao mesmo tempo, o principal índice da Bovespa seguia Wall Street e avançava em torno de 1,8% no momento em que as operações de câmbio foram encerradas.

 

De acordo com os últimos dados da BM&F, o volume de dólar negociado no segmento à vista girava em torno de US$ 2,8 bilhões. Ante uma cesta com as principais moedas globais, a divisa norte-americana exibia leve queda de 0,3%.

Tudo o que sabemos sobre:
mercado financeiradólar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.