Dólar cai por fluxo positivo e tem nova mínima em 7 meses

O dólar manteve a trajetória de baixa ante o real nesta quarta-feira, na esteira de um movimento de entrada de recursos externos.

REUTERS

20 de maio de 2009 | 17h09

A moeda norte-americana fechou em baixa de 0,25 por cento, cotada a 2,030 reais para venda, no menor patamar de encerramento desde 2 de outubro do ano passado, quando terminou a 2,021 reais.

Desde 2 de março --quando fechou a 2,443 reais para venda, maior patamar do ano--, o dólar já acumula depreciação de 16,9%. Só neste mês, a divisa norte-americana registra queda de quase 7 por cento.

Em âmbito global, o dólar também se desvalorizava. Ante uma cesta com as principais moedas mundiais, a divisa norte-americana tinha baixa de 1,2 por cento no final da tarde.

"Houve um ingresso firme de dólares em todo o pregão. Vemos uma onda de otimismo que toma conta dos emergentes, entre eles o Brasil", avaliou Luis Piason, gerente de operações de câmbio da Corretora Concórdia.

Piason também citou os dados do fluxo cambial divulgados pelo Banco Central, que teriam intensificado o movimento.

De acordo com os dados do BC, o fluxo cambial no país está positivo em 2,059 bilhões de dólares nos 10 primeiros dias úteis de maio.

A cifra resulta de saldo positivo nas operações comerciais de 658 milhões de dólares e também positivo nas transações financeiras de 1,401 bilhão de dólares.

Em abril, o fluxo cambial havia ficado positivo em 1,43 bilhão de dólares. No ano, o país acumula entrada líquida de 516 milhões de dólares.

Piason ressaltou ainda a influência da redução das apostas na valorização do dólar no mercado futuro sobre as cotações no mercado à vista.

De acordo com os últimos números disponíveis, as posições compradas desses investidores --que sinalizam apostas na valorização do dólar-- reduziram-se para cerca de 1,3 bilhão de dólares, no menor nível desde 9 de setembro do ano passado.

"O aumento do apetite por risco faz as apostas virarem contra o dólar", acrescentou.

Durante a tarde, o Banco Central realizou mais um leilão de compra de dólares no mercado à vista. O BC tem feito esse tipo de operação em todas as sessões desde o último dia 8.

No mercado de câmbio doméstico, segundo os últimos dados da BM&F, o volume de dólar negociado no segmento à vista somava 2,9 bilhões de dólares.

(Reportagem de José de Castro)

Tudo o que sabemos sobre:
DOLARFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.