Dólar começa a semana em alta forte; risco Brasil sobe muito

O mercado de câmbio está abrindo novamente pressionado nesta semana, na esteira de mais uma rodada de turbulência no exterior. Há pouco, o dólar futuro de junho subia 2% no mercado eletrônico e o dólar comercial abria em 2,12%, a R$ 3,1270, enquanto o risco Brasil beirava os 800 pontos base, em 792 pontos. Às 9h50, o dólar subia 1,89%, cotado a R$ 3,12. No Exterior, as bolsas registram queda, ainda reagindo às expectativas de alta dos juros norte-americanos. Em Tóquio, a queda foi de 4,8%. Ações também recuam, embora com menor intensidade, na Europa, e os futuros de Nova York também indicam baixa no S&P e no Nasdaq. Depois dos últimos dados do emprego nos EUA, o mercado continua antecipando-se a uma alta dos juros do Fed, que pode vir ainda em junho. A boa notícia externa do dia é a forte queda do petróleo, que reage a declarações da Arábia Saudita em favor de uma possível elevação da produção para conter os preços. A sinalização saudita serve de contraponto à piora do ambiente de risco geopolíotico depois dos últimos eventos no Iraque, onde um oleoduto sofreu explosão, e na Chechênia, cujo presidente foi morto em atentado ontem. Veja a cotação do dólar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.