Dólar comercial abre em alta de 1,03%, a R$ 1,868

Dólar comercial abriu o dia em alta de 1,03%, a R$ 1,868

Cristina Canas, da, Agência Estado

12 de fevereiro de 2010 | 10h08

O dólar comercial abriu o dia em alta de 1,03%, negociado a R$ 1,868 no mercado interbancário de câmbio. No pregão de ontem, a moeda norte-americana fechou estável, cotada a R$ 1,849. Na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F), o dólar com liquidação à vista abriu as negociações em alta de 0,52%, a R$ 1,862.

Hoje, o mercado brasileiro de câmbio vai funcionar já à espera do carnaval. As novidades do dia até o momento e a reação dos mercados internacionais sugerem que a cautela deve prevalecer ao longo do dia. Na Europa, o euro começou o dia abaixo da marca de US$ 1,36, em reação a mais uma medida de aperto monetário na China. A produção industrial da zona do euro (que reúne os 16 países que adotam o euro como moeda) em dezembro, com queda de 1,7% ante projeção de alta de 0,2%, também prejudica os negócios. Em comparação a dezembro de 2008, a produção europeia caiu 5%, ante estimativas de encolhimento de 1,4%.

Os dados negativos do PIB na zona do euro, na Grécia e em Portugal, divulgados esta manhã, também ajudam a criar um ambiente mais tenso. O Produto Interno Bruto (PIB) da zona do euro subiu 0,1% no quarto trimestre do ano passado, em comparação com o terceiro trimestre, mas caiu 2,1% em relação ao mesmo período de 2008. No terceiro trimestre, o PIB havia crescido 0,4%.

A desaceleração da expansão e o fato de a Itália e a Espanha terem tido contração sugerem que a recuperação da segunda maior área econômica do mundo pode ter perdido a força. Já o PIB português recuou 0,8% no quarto trimestre de 2009, ante o mesmo período de 2008. Na comparação com o terceiro trimestre, a variação foi nula, o que representa um arrefecimento ante o crescimento de 0,6% registrado nos dois trimestres anteriores.

Tudo o que sabemos sobre:
dólar, câmbio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.