Dólar comercial em alta com tensão externa

O dólar comercial abriu em alta. Logo após a abertura, subia 0,74% sobre o fechamento de sexta-feira, a R$ 3,115; às 10h07, subia 0,65%, cotado a R$ 3,112. Pouco antes da abertura, operadores ouvidos pela Agência Estado estimavam que o dólar, que recuou na sexta, já abriria acima dos R$ 3,10. A pressão cambial reflete a turbulência externa, que aumentou fortemente hoje no mercado internacional, além de um fator técnico, que é a proximidade da formação da ptax (taxa média) para o próximo vencimento de dívida cambial. Com o juro dos treasuries norte-americanos menos pressionados, a alta do petróleo, impulsionada por novos atentados no Iraque e na Turquia, está no epicentro da crise nesta segunda. O petróleo para junho continua acima dos US$ 41 o barril e bateu na máxima de US$ 41,85 na manhã de hoje. As bolsas estão tendo um dia exepcionalmente ruim. Na Índia, onde os mercados também reagem negaticamente ao apoio dos comunistas ao novo governo, a bolsa despencou 11% - maior queda de sua história. A baixa foi de 5,1% em Taiwan e de 3,2% em Tóquio. Assim como na Índia, nestes dois mercados asiáticos as baixas também foram influenciadas por fatores locais. Os futuros de NY e as principais bolsas européias operavam em baixa superior a 1%. Veja a cotação do dólar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.