Dólar comercial oscila perto da estabilidade

Na primeira hora e meia de negócios, hoje, o dólar oscilou perto do valor do fechamento de ontem. Na abertura, caía 0,14%, cotado a R$ 2,905. Às 9h36, poucos minutos após a abertura, subia 0,07%, a R$ 2,911. Às 11h14, caía 0,03%, a R$ 2,908. A formação da ptax (taxa média), que será usada na liquidação dos contratos futuros de abril e da dívida cambial de US$ 2,2 bilhões, que vencem amanhã, é o fator determinante da trajetória da cotação do dólar nesta manhã. A conjuntura de hoje está sendo considerada bastante favorável ao governo e, ao contrário do vencimento de dívida cambial, aponta para o recuo das cotações do dólar. A divulgação, ontem à noite, de uma gravação que atribui o escândalo Waldomiro a interesses políticos de pessoas interessadas em derrubar o ministro José Dirceu e comprometer o governo petista é a grande novidade de hoje. A isso, soma-se um conjunto de atitudes do governo Lula, que facilmente pode ser chamado de "agenda positiva". Primeiro foram as palavras do presidente reafirmando os compromissos do governo com a estabilidade. Depois a presença "apaziguadora" (como denominou o próprio mercado) de Palocci na audiência pública da CAE. O ministro da Fazenda fez coro com Lula e com o presidente do Banco Central (que também esteve no Congresso) e foi além. Sem recuar na defesa de sua política de estabilidade, conseguiu agradar aos petistas críticos do governo e à oposição. Veja a cotação do dólar.

Agencia Estado,

31 Março 2004 | 11h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.