Dólar comercial recua de olho no petróleo

O dólar comercial abriu em alta de 0,47%, a R$ 3,165, e seguiu nessa trajetória no início dos negócios. Às 10h42, caía 0,38%, cotado a R$ 3,168. O comportamento do câmbio deve seguir determinado pelo noticiário, sensível e volátil, com tendência a exagerar na variação de preços tanto na baixa quanto na alta. Segundo os especialistas, as incertezas atuais do mercado continuam sem ser resolvidas. Com isso os investidores institucionais mantêm suas posições compradas e operam esses recursos no day-trade, seguindo as notícias diárias e, principalmente, o desempenho dos mercados internacionais. E, no rol de ativos estrangeiros, o petróleo é o mais vigiado nos últimos dias. Como o preço do petróleo no mercado internacional recuava estava manhã, o dólar recuou também. Internamente, entre as novidades que existem para serem computadas na abertura de hoje um dos destaques é a indicação do governo de que a meta de inflação deste ano deve ser ultrapassada, com o IPCA atingindo 6,37%. O fato não é exatamente uma novidade para o mercado que já estimava inflação de 3,36%, mas pode interferir nos negócios pois, agora, o provável rompimento da meta é oficial. Veja a cotação do dólar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.