Dólar corrige estresse da segunda com queda na abertura

O dólar abriu em queda (de 0,14%, cotado a R$ 2,909), seguindo o comportamento inicial dos títulos da dívida que sobem e do risco Brasil, que mostrava recuo antes das 10 horas. Os operadores atribuem o movimento a uma correção do estresse mostrado ontem, mas não acreditam que a abertura acabe se consolidando numa tendência de queda. Eles avaliam que não existe nada de novo no noticiário para justificar uma reversão consistente do nervosismo que a morte do líder do Hamas imprimiu ontem no mercado. A aversão a risco que o fato trouxe para os investidores foi colocada no preços dos ativos pelo mundo e não deve ser totalmente anulada pela melhora esperada para hoje. A queda deve computar também um alívio nas tensões de Brasília, que foram criadas pelas acusações do ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues ao titular do Planejamento, Guido Mantega. Ontem o próprio Rodrigues amenizou suas anteriores críticas e o presidente Lula fez mais uma reunião para tentar uniformizar o discurso do governo. A queda inicial diminuiu um pouco na primeira hora de negócios. Às 10h37, o dólar caía 0,03%, a R$ 2,912. Veja a cotação do dólar.

Agencia Estado,

23 Março 2004 | 10h43

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.