Dólar despenca 6%, após pacote de ajuda europeu

O dólar mergulhava cerca 6 por cento nesta segunda-feira, acompanhando o otimismo dos mercados após o anúncio do plano de socorro a bancos por diversos países europeus. Às 10h58, a moeda norte-americana era cotada a 2,190 reais, com desvalorização de 5,85 por cento. Na mínima do dia, o dólar chegou a cair 6,58 por cento, para 2,173 reais. "O tempo é de ajuste, as medidas têm que ser implementadas... Quando a poeira assentar, aí que a gente vai ver o efeito econômico", disse Marcelos Voss, economista-chefe da corretora Liquidez, referindo-se às recentes intervenções econômicas por governos ao redor do mundo. Depois de uma reunião de emergência realizada no final de semana, diversos governos europeus anunciaram nesta segunda-feira planos multibilionários de ajuda a bancos, criados em uma tentativa de combater a crise financeira mundial. Os governos da Austrália, da Nova Zelândia e da Indonésia também seguiam a iniciativa européia e informaram que devem garantir os depósitos bancários. O governo japonês também avaliava essa possibilidade. Refletindo essas medidas, os mercados reagiam com otimismo. O principal índice da Bovespa, disparava mais de 6 por cento, enquanto em Wall Street, as bolsas de valores aceleravam mais de 4 por cento. No Brasil, o Banco Central anunciou no início da manhã a pré-disponibilização de recursos referentes a alguns depósitos compulsórios, que podem liberar até 100 bilhões de reais ao mercado, de acordo com suas necessidades. Segundo Marcelo Voss, a medida não têm influência direta no mercado de câmbio, mas estimula que a economia do país se mantenha "girando". A autoridade monetária ainda vai realizar nesta sessão um leilão de swap cambial tradicional entre 12h45 e 13h. Serão ofertados até 35.310 contratos, com volume equivalente a 1,7 bilhão de dólares. O resultado será divulgado a partir das 13h15. (Reportagem de Jenifer Corrêa)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.