Dólar dispara e chega a R$ 2,3200; Bolsa chega a cair 5%

O mercado começou a semana com forte oscilação. O dólar comercial abriu o dia cotado a R$ 2,2650, em forte alta em relação ao fechamento de sexta-feira. Às 12h50, é cotado a R$ 2,2990, em alta de 4,12% e já chegou ao patamar máximo de R$ 2,3200, até este horário. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) cai 4,99%. O risco Brasil - taxa que mede a desconfiança do investidor estrangeiro em relação à capacidade de pagamento da dívida do País - encontra-se acima de 280 pontos pela primeira vez desde 19 de janeiro.O nervosismo tomou conta de vários mercados. As bolsas de Nova York operam em queda também. A Nasdaq, bolsa que negocia ações do setor de tecnologia e Internet, recua 1,63%. O índice Dow Jones, que mede o desempenho das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York, está em baixa de 0,87%.O comportamento dos juros nos Estados Unidos ainda é duvidoso. É possível que as taxas lá subam mais do que o esperado, dado que ainda há uma preocupação com a inflação. Juros mais altos nos Estados Unidos significa uma reavaliação dos riscos nas aplicações em países emergentes, já que é possível ganhar mais no mercado norte-americano com um risco semelhante. Contudo, os sinais não estão claros e o resultado é a forte oscilação que domina os mercados no mundo todo.A maioria dos analistas diz que o cenário externo ainda é positivo e que os mercados mundiais passam apenas por um ajuste. É provável que o cenário mundial como um todo não esteja realmente mudando radicalmente. Porém, o fato é que tanto no Brasil quanto no exterior os preços de muitos ativos estavam em níveis históricos de alta. Por isso, o espaço para correções técnicas será elevado, caso a turbulência lá fora persista.

Agencia Estado,

22 de maio de 2006 | 13h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.