carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Dólar e juro caem com melhora de humor e leilão

O dólar e os contratos corrigidos por juros voltaram a registrar queda forte, enquanto a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) sobe. Esta valorização do real é atribuída ao sucesso do Banco Central (BC) no leilão de contratos cambiais desta segunda-feira, aliado à manutenção do ambiente positivo na transição política e à ausência de notícias negativas no plano conjuntural. O volume de negócios nos mercados é baixo devido ao meio feriado nos EUA.Diante do ambiente mais calmo, o Banco Central antecipou mais uma parte da rolagem dos US$ 1,9 bilhão em contratos cambiais que vencem na próxima quinta-feira, dia 14. Na sexta, o BC foi bem sucedido na primeira tentativa de rolagem, vendendo 34,8% do vencimento de US$ 1,9 bilhão. O leilão de hoje equivale a cerca de US$ 600 milhões , tendo sido rolados cerca de US$ 260 milhões. Já o quadro externo voltou a ficar nublado hoje, com petróleo em alta e bolsas em baixa no exterior. Investidores esperam com alguma apreensão a resposta do governo iraquiano, esperada para hoje à tarde, à dura resolução aprovada pela ONU na sexta. A possibilidade de um ataque americano ao Iraque até o início do próximo ano tornou-se mais real, o que empresta maior imprevisibilidade à conjuntura externa nas próximas semanas. No entanto, embora haja potencial de piora para os mercados, também não é descartada uma evolução positiva caso os EUA consigam derrubar o regime iraquiano rapidamente e o País passe a mãos mais amistosas com o Ocidente.Ao contrário da tarde de sexta-feira, porém, hoje o mercado cambial brasileiro praticamente ignorou o ambiente externo. Operadores monitoram o noticiário e podem assumir uma posição mais cautelosa caso a alta do petróleo e a queda das bolsas se pronunciem muito, mas até agora prevaleceu o quadro doméstico mais animador. Embora o otimismo seja cauteloso, o nível ainda elevado do dólar segue desestimulando apostas na compra. O pano de fundo da melhora de humor doméstico continuam sendo os sinais emitidos por articuladores do novo governo petista em favor da manutenção de pilares da estabilidade econômica, como o respeito aos contratos e a austeridade fiscal. A revisão do acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI), que deve começar a ser debatida entre hoje e amanhã com o governo brasileiro, será acompanhada pelos investidores, mas sem grandes expectativas. Afinal, tanto o governo atual quanto a equipe de Lula têm sinalizado que não deverá ocorrer elevação da meta de superávit primário. A expectativa deverá ser maior após o início do novo governo, quando os entendimentos do Fundo serão com a nova equipe econômica, ainda não divulgada. MercadosÀs 15h, o dólar comercial era vendido a R$ 3,5080, em baixa de 1,18% em relação às últimas operações de ontem, oscilando entre R$ 3,4750 e R$ 3,5200. Com esse resultado, o dólar acumula uma alta de 51,47% no ano e queda de 8,17% nos últimos 30 dias. Veja aqui a cotação do dólar dos últimos negócios.No mercado de juros, os contratos de DI futuro com vencimento em janeiro de 2003 negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros pagavam taxas de 22,700% ao ano, frente a 22,800% ao ano ontem. Já os títulos com vencimento em julho de 2003 têm taxas de 27,790% ao ano, frente a 27,790% ao ano negociados ontem.A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) operava em alta de 0,66% em 9925 pontos e volume de negócios de R$ 131 milhões. Com esse resultado, a Bolsa acumula uma baixa de 26,91% em 2002 e alta de 12,08% nos últimos 30 dias. Das 50 ações que compõem o Ibovespa - índice que mede a valorização das ações mais negociadas na Bolsa -, 16 apresentam baixa. Mercados internacionais Em Nova York, o Dow Jones - Índice que mede a variação das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - operava em queda de 1,32% (a 8424,0 pontos), e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York - cai 1,99% (a 1332,25 pontos). O euro era negociado a US$ 1,0107; uma queda de 0,19%. Na Argentina, o índice Merval, da Bolsa de Valores de Buenos Aires, estava em baixa de 0,55% (437,24 pontos). Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

Agencia Estado,

11 de novembro de 2002 | 15h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.